Entidades se unem para ato em defesa do emprego na BrasFels

0

ANGRA DOS REIS

Um ato em defesa do emprego será realizado neste sábado no município e já conta com apoio de diversos movimentos e entidades, como prefeitura, câmara, associações de moradores, igrejas, sindicatos, comércio e outros. O movimento denominado “União pelo Emprego”, será a partir das 9 horas na porta do Estaleiro BrasFels. Na última segunda-feira aconteceu uma reunião no auditório da Defesa Civil que contou com a presença do prefeito Fernando Jordão (PMDB), do secretário e Governo e Relações Institucionais, Marcus Veníssius Barbosa, de vereadores e da comissão organizadora.

O ato consiste em um abraço simbólico na empresa BrasFels. Uma celebração ecumênica dará abertura ao evento. O movimento está sendo realizado para chamar a atenção da sociedade e, principalmente, do governo federal, para a atual situação do estaleiro BrasFels, que poderá iniciar o próximo ano com apenas 400 trabalhadores. Atualmente a empresa emprega 2,8 mil metalúrgicos e tem em seus pátios quatro plataformas da Sete Brasil paradas. Uma delas, com 94% de sua obra concluída, outra com 70%, a terceira com 40% e a última com o projeto pronto. Essas obras garantiriam três mil empregos imediatos por cinco anos.

Ontem o prefeito e o secretário de governo estiveram em Brasília dando prosseguimento às conversas iniciadas em duas reuniões com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM) em agosto e em setembro, quando Maia tinha assumido interinamente a cadeira de presidente da República. Nesses encontros Jordão pediu a intervenção de Maia junto ao presidente Michel Temer, para que a Petrobras volte a investir nas obras inacabadas da Sete Brasil.

CÂMARA

No encontro de terça-feira, estiveram presentes o presidente da câmara, Zé Augusto, os vereadores Titi Brasil, Canindé do Social, Luciana Valverde, todos do PMDB; Helinho do Sindicato e Kamu, ambos do PSB; Flavinho e Leo Marmoraria, do PSC; Gedai e Sargento Thimoteo, do PR;  Marquinho Coelho e Jean, do PDT. O encontro foi mediado pelo presidente da Fundação dos Trabalhadores do Estaleiro Verolme (Funtresv) e do Sindicato de Marinas do Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Neves Figueiredo.