Empresários se reunirão com Ministério Público para negociar liberação de eventos sociais

0

BARRA MANSA

O grupo de empresários responsáveis pelo documento que visa uma volta gradual e consciente das atividades dos setores de eventos, se reunirá com o Ministério Público (MP) nessa sexta-feira, 18, às 14 horas, de forma virtual, para dar continuidade as negociações da liberação dos eventos sociais. O MP, já analisa o protocolo de retomada, das atividades dos setores desde o último dia 3.

A reunião contará com a presença dos empresários, Thaís Gomes Cerimonial, Espaço M, Kifulia Festas Eventos, representantes das casas de festa da Fazenda da Bocaina, do Bufett Joana Reis e também o procurador César Catapreta. De acordo com a empresária e criadora da iniciativa, Thaís Gomes, a reunião foi agendada na última semana com o promotor de Justiça do Ministério Público, Leonardo Kataoka, que responde pelo município. “Nós conseguimos agendar uma reunião por videoconferência com o promotor, para dialogar sobre o protocolo divulgado, analisar se algo precisa ser alterado, saber qual a previsão da retomada do setor e ter um parecer mais concreto do Ministério Público”, pontuou a empresária

Segundo ela, incialmente foi dito que seria interessante fazer a liberação apenas dos eventos coorporativos e estão tentando dialogar e argumentar a liberação dos outros eventos sociais. “O número de eventos coorporativos é muito menor, o que não traria tanto efeito para o setor, sendo que os eventos sociais que mais ocorrem na nossa cidade são aniversários, casamentos e bodas. Então estamos tentando negociar a liberação desses eventos com todas as restrições necessárias como, sem pista de dança, preservando os grupos de riscos e outras medidas,” relatou a responsável.

PROTOCOLO PARA RETOMADA

O protocolo proposto pelos empresários de Barra Mansa é dividido em cinco fases. A primeira delas visa o Plano da Retomada, onde os protocolos a serem seguidos serão passados aos profissionais para que estejam cientes de como operar nas demais fases. Esse processo acontecerá no período de 21 dias (não operante e não liberada realização de eventos de imediato). Na segunda etapa, os locais já operariam e aconteceria em 30 dias, com a liberação dos eventos seguindo as restrições e medidas como, quantidade de convidados reduzida, uso de equipamentos de proteção individual, medidas sanitárias, distanciamento e medidas educativas para que funcionários e clientes tenham acesso aos procedimentos de segurança do local a serem seguidos. A segunda fase faz algumas proibições como juntar mesas, utilização de brinquedos infláveis e playground.

Nas próximas fases aconteceria a liberação dos eventos com maior flexibilização, aumentando o número de ocupações. Segundo o protocolo, a pandemia estando controlada, o setor operaria sem restrições e com prazo indeterminado, levando em consideração todos os pilares da Organização Mundial de Saúde (OMS).

error: Conteúdo protegido !