Economia Solidária é aposta na Retomada Econômica de Niterói

0

NITERÓI

A Prefeitura de Niterói elaborou um plano de retomada econômica no cenário pós-pandêmico que tem, em um dos vértices, a economia solidária como eixo. A Secretaria Municipal de Assistência Social e Economia Solidária (SMASES) é a gestora do Centro Público de Referência em Economia Solidária, a Casa Paul Singer, popularmente conhecido como Casa Azul. Em 2021, o espaço recebeu mais de 300 novos cadastrados de empreendedores solidários e possui mais de 800 no total desde o surgimento da Casa, em 2019.

Segundo o secretário de Assistência Social e Economia Solidária, Elton Teixeira, esses cadastros refletem a entrada de novos trabalhadores que buscam na economia solidária sua forma de produção e sustento. “A retomada econômica em Niterói passa pelo incentivo à economia solidária. Nos últimos meses, tivemos uma grande procura na Casa Paul Singer por artesãos que querem participar das feiras do Circuito Arariboia. Além disso, estamos cadastrando trabalhadores e comerciantes para receber a Moeda Social que vai passar a circular na cidade a partir do fim do mês”, destaca o secretário.

O Circuito Arariboia é gerido pela SMASES em cogestão com o Fórum de Economia Solidária de Niterói e é composto de quatro feiras que ficam localizadas no Centro, Icaraí e Itaipu. No Centro, a feira funciona ao lado do Terminal João Goulart, na Avenida Visconde do Rio Branco. A feira acontece de forma quinzenal, às quintas-feiras.  São diversas barracas com produtos artesanais, trabalhos manuais, produtos orgânicos e arte popular. A de Itaipu fica na Praça das Amendoeiras e ocorre aos sábados, próximo ao ponto final do ônibus 38 e a da Praça Dom Navarro, na Ary Parreiras (Icaraí), sempre às sextas. As feiras acontecem das 8h às 18h, com exceção a do Campo de São Bento que começa às 7h e vai até às 14h, todos os sábados do mês. Mais informações sobre a programação das feiras pelo telefone 2717-8350 ou através do e-mail [email protected].

O coordenador de Economia Solidária, Maicon Carlos reforça que “o cadastro serve, não apenas para serem identificados e atendidos pelo governo, mas como forma de entrada nas feiras do Circuito Arariboia, onde podem realizar o escoamento de sua produção”. Ele disse ainda que “a Coordenadoria de Economia Solidária solicitou autorização para a realização das feiras do Circuito Arariboia em dez novos espaços na cidade de Niterói e planeja aumentar a garantia de estrutura para que os empreendimentos possam expor seus produtos e terem um custo cada vez menor em cada feira com a estrutura como barracas, alimentação etc”.