Economia apresenta sinais de melhorias para 2018

0

BARRA MANSA

Depois de dois anos de recessão e um 2017 marcado por recuperação lenta, a previsão entre os economistas e do governo é de que a economia brasileira vai crescer com mais força em 2018. De acordo com a economista barra-mansense, Rafaella Assis, a tendência é de uma melhora gradual, porém ainda tímida.

“A economia está se recuperando da crise e as retomadas da produção e do consumo não são tão instantâneas como gostaríamos que fosse. Mas já é possível observar sinais de melhora em ambos, com a volta das contratações e no volume de compras superiores ao mesmo período do ano passado”, citou em entrevista ao A VOZ DA CIDADE.

Outro fator é apontado pela economista para o otimismo de 2018: As eleições presidenciais. “Por ser um ano de eleições federais, é natural que as políticas públicas sejam mais evidentes. Com mais gastos do governo, o que acaba aquecendo um pouco mais a economia do país. Os empresários são movidos a expectativas, que são boas. Mas o cenário econômico no atual momento ainda permanece frágil. Não estão previstas quedas de produtividade e vendas. As previsões são de estabilidade e crescimento equilibrado para 2018. Espera-se uma taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) próximos a 2,6 %; resultado expressamente superior a expectativa de 2017, que foi de 0,98%”, aponta.

O mercado estima que no fim de 2018 a taxa básica de juros do Brasil, a Selic, esteja em 6,75%. Atualmente está em 7%. “A Selic é a taxa básica de juros – taxa de referência para as outras de juros que impactam diretamente na vida do consumidor. A Selic é a taxa que o Banco Central cobra ao emprestar dinheiro a outras instituições financeiras. A queda da taxa de juros é um dos instrumentos de política monetária expansionista, em que com juros menores, há maior incentivo ao consumo deixando a economia mais aquecida. Com juros mais baixos, há maiores incentivos a empréstimos bancários ou gastos no cartão”, avalia.

Período de cautela

De acordo com o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Barra Mansa (CDL-BM), Xisto Vieira Neto, este é um período de cautela, onde os empresários estão receosos. “Neste ano temos dois elementos positivos: Eleições e Copa do Mundo de futebol. Toda eleição acontece em um ambiente de expectativas positivas. Neste ano, dificilmente o governo terá atitudes agressivas, ou que influenciem grandes modificações a economia, as atitudes políticas ficam mais leve. A situação econômica tem melhorado”, destaca.

De acordo com Xisto essa é a hora de investir. “O empresariado vê com bons olhos o ano que tem esses dois elementos, com a taxa Selic caindo é mais vantajosos de se investir. É hora de apostar em trabalho e rentabilidade”, aponta o presidente da CDL.

O lojista Márcio Campos espera realmente que as previsões se tornem realidade. “Fim do ano é sempre bom de vendas. As expectativas são boas e pelas conversas dos clientes já podemos perceber que a economia tem melhorado”, citou.

 

 

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !