Duas cidades da região são alvos da Operação Catarata

0

Visando o cumprimento de sete mandados de prisão temporária e 19 de busca e apreensão, além de investigar fraude em licitações da Fundação Leão XIII, agentes do Departamento de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro (DGCOR-LD) da Secretaria de Estado de Polícia Civil, deflagraram no início da manhã desta terça-feira, 30, a Operação Catarata. Dois municípios da região, Resende e Angra dos Reis, foram alvos da ação onde os policiais se concentraram.

A operação, que conta com a parceria da Controladoria Geral do Estado (CGE RJ) e do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), visa apurar a prática dos crimes de associação criminosa, fraudes licitatórias contra a administração pública, falsidade ideológica e crimes conexos. Ainda foi decretado o bloqueio das contas dos investigados junto ao Banco Central.

APURAÇÕES PRELIMINARES

Vale ressaltar que a  investigação surgiu a partir de apurações preliminares realizadas pela Superintendência de Investigações Especializadas da CGE RJ, que apontaram que a empresa Servilog Rio Consultoria e Assessoria Empresarial LTDA, entre outras, participaram de procedimentos licitatórios da Fundação Leão XIII de forma fraudulenta entre os anos de 2015 e 2018. A Fundação Leão XIII também é alvo de buscas.

A operação foi realizada também no Centro do Rio de Janeiro onde mandados de busca e apreensão foram cumpridos em quatro andares na sede da Fundação Leão XIII. Nos pregões eletrônicos que ocorreram nesse período, foram realizadas quatro contratações em que há fundada suspeita da ocorrência de fraudes, que, somando o valor dos contratos, totalizam aproximadamente R$ 66 milhões. As licitações foram para a aquisição de 560 mil armações de óculos, 560 mil consultas oftalmológicas e 560 mil exames de glicemia.