Dossiê inédito analisa dinâmicas dos roubos de carga no Rio de Janeiro e PRF fala sobre a situação na região

0

SUL FLUMINENSE

O Instituto de Segurança Pública (ISP) divulgou neste mês, um estudo pioneiro sobre os roubos de carga no estado do Rio de Janeiro. O trabalho busca, por meio de métodos qualitativos e quantitativos, auxiliar na explicação do fenômeno e apoiar as tomadas de decisão por parte dos operadores da segurança pública do estado. O A VOZ DA CIDADE conversou com a Polícia Rodoviária da região Sul Fluminense, responsável pelos trechos da Rodovia Presidente Dutra e Rodovia Lúcio Meira, para saber se é alarmante esse tipo de crime e quais as dicas para evitar ser vítima de criminosos.

Segundo o Dossiê Roubos de Cargas, em 2018 foram registrados 9.182 roubos – uma redução de 13,4% em relação ao ano anterior. A maior parte desses casos (54,4%) ocorreu durante o ‘horário comercial’, entre 8 e 13 horas, com pico entre 10 e 11 horas, e 80,2% foram entre terça e sexta-feira. Os municípios com o maior número de registros estão localizados na Região Metropolitana do estado: a Capital concentra 43,8% dos casos e São Gonçalo, 18,5%.

DINÂMICA DOS CRIMINOSOS

Quanto à dinâmica das abordagens durante os roubos nessas áreas, o Dossiê mostra que 44,9% dos veículos de transporte eram caminhões e ao menos uma motocicleta foi usada em 46,6% dos casos para efetuar o roubo. Em 58,6% das vezes, o criminoso deu ao motorista a ordem de seguir conduzindo o veículo sem entrar no mesmo e em 75,7% das abordagens, as vítimas reportaram o uso de arma de fogo por parte dos criminosos.

Pela primeira vez, o Instituto de Segurança analisa o momento do descarregamento das cargas roubadas (transbordo). Com isso, foi possível descobrir os locais para onde são levadas as cargas após os roubos. No geral, as vítimas não identificaram mais pessoas para realizar tal tarefa, ou seja, os mesmos autores que abordaram os veículos foram os que descarregaram as cargas. E, no geral, o veículo que abordou as vítimas foram os mesmos usados para o transporte da carga.

SUL FLUMINENSE

De acordo como supervisor de operações da equipe da PRF, Carlos André Nogueira Fernandes, no trecho da Via Dutra que corta a região Sul Fluminense, ocorrem alguns casos de roubo de carga. “Isso ocorre mais na altura de Piraí e Barra Mansa”, alertou.

Já o inspetor Roberto Baldini, afirma que no trecho de sua responsabilidade, na Rodovia Lúcio Meira, no entroncamento de Barra Mansa até o Km 175, no Cantagalo, não foram registrados esses crimes, neste ano de 2019. “Mesmo assim, nosso efetivo trabalha sob orientação desses estudos, em operações conjuntas visando coibir esse tipo de crime”, garantiu.

Segundo Baldini, todo PRF recebe orientação para esse procedimento, inclusive têm equipes que realizam palestras nas empresas da região para alertar sobre o fato e quais as providências para se evitar e/ou tomar caso seja vítima. “É bom reforçar a necessidade dos transportadores de carga (motoristas, empresários) de repassar para os órgãos de segurança informações e denúncias que nos ajudem a combater esses crimes”, concluiu, anunciando que essas informações podem ser repassadas através do número 191.