Documentário retrata a perseguição religiosa nos anos 1930

0

RESENDE

No mês da Consciência Negra, o Cineclube Quilombo dos Puris exibe nesta quarta-feira, dia 14, a partir das 18h30min, o documentário ‘Nosso Sagrado’, dos diretores Fernando Sousa, Gabriel Barbosa e Jorge Santana. O documentário investiga a perseguição e o racismo religioso contra o Candomblé e a Umbanda, que foram criminalizadas na Primeira República e na Era Vargas. Durante esse período, mais de 200 objetos foram apreendidos pela polícia. A exibição gratuita do documentário será no Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ), que fica na Avenida Prefeito Botafogo, no bairro Comercial.

A partir da fala de religiosos, pesquisadores e militantes, o filme busca entender a importância do acervo sagrado afro-brasileiro, a luta pela sua libertação e os efeitos do racismo religioso. As peças sagradas da Umbanda e do Candomblé foram expostas como ‘Coleção Magia Negra’ que ainda hoje se encontra sob posse do Museu da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro.

A exibição do documentário contará com a presença de Jorge Santana, um dos diretores do filme que participará de um bate-papo com o público presente. “A história é contada a partir dos objetos sagrados apreendidos na Primeira República e na era Vargas, com base no código penal de 1890, que proibia a prática dessas religiões”, conta o diretor.

Produzido pela Quiprocó filmes, em parceria com a campanha ‘Libertem Nosso Sagrado’, o filme assume o papel de pressionar o poder público para que faça a reparação histórica a essas comunidades. Apesar do apelo dos movimentos e da repercussão do caso, o acervo com cerca de 200 peças, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, o Iphan, na década de 30, se encontra ainda hoje em posse da Polícia Civil.