Direção do Sindicato dos Metalúrgicos chama para o início do Acordo Coletivo

0

A direção do Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense já inicia a Campanha Salarial, em busca de reajustes e benefícios no Acordo Coletivo 2019/2020 para os metalúrgicos da Companhia  Siderúrgica Nacional (CSN), em Volta Redonda. O presidente da entidade sindical, Silvio Campos, lembra que o Sindicato tem enfrentado inúmeras dificuldades na região, principalmente, após as mudanças da Reforma Trabalhista que segundo ele, é uma forte ofensiva do governo de ultradireita, que tem desmobilizado as mais diversas categorias e seus sindicatos.

O objetivo do governo, de acordo com Silvio Campos, é acabar com conquistas adquiridas em décadas de luta. “Além de pôr fim à organização dos trabalhadores. Ciente dos problemas econômicos no país e da situação das empresas na região, a direção do sindicato vem trabalhando, de forma intensa e responsável, através de muito diálogo com os trabalhadores e as empresas, no sentido de achar uma saída conjunta para esse momento”, destacou Silvio campos, ressaltando que o conjunto dos trabalhadores deve se manter empregado e que haja avanços e conquistas nas negociações. “Diante disso, a direção está chamando a  empresa para iniciar as negociações. E pretende priorizar dar uma reposta justa aos anseios da categoria, mas sem deixar de contribuir também para que as empresas se mantenham competitivas com o foco na retomada de crescimento e dos postos de trabalho”, completou Campos.

PRESIDENTE ALERTA

O presidente alertou que, o trabalhador não pode assistir a tudo isso sentado e de cabeça baixa. “É preciso retomar forças e organizar a luta no local de trabalho. O grande desafio é conseguir fazer frente às batalhas e mostrar aos patrões que a categoria está de pé e com muita disposição para negociar como sempre”, disse, ressaltando que, se for preciso, brigar por mais conquistas. “Nenhum direito a menos, pois afinal, as conquistas dos trabalhadores devem ser do tamanho da sua organização”, completou o sindicalista.

Silvio fez questão de frisar que o Sindicato vem ao longo dos últimos anos falando sobre a importância da organização nos locais de trabalho. A bancada patronal, segundo ele, vem se fortalecendo, ao longo do tempo, com o propósito de derrotar toda e qualquer forma de luta dos trabalhadores e de seus sindicatos. E o resultado está aí, as mudanças na legislação, que retira direitos básicos do dia a dia da classe trabalhadora. “E, ainda pior, com risco de perder tudo aquilo que foi conquistado em acordos coletivos através de muitas lutas de todas as categorias”, concluiu Silvio.

error: Conteúdo protegido !