Dia dos Pais promete injetar R$ 819 milhões na economia fluminense

0

SUL FLUMINENSE

Mais de 5,8 milhões de consumidores fluminenses vão presentear seus pais neste domingo, dia 9, revela consulta do Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec RJ), vinculado a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio) em sua nova pesquisa com 533 consumidores abrangendo todo o estado.

O gasto médio verificado será de R$ 139,42. Por conta da data comemorativa, está prevista uma injeção financeira de R$ 819 milhões, refletindo positivamente na economia do estado. Em 2020, o Dia dos Pais será maior que o Dia dos Namorados (R$ 788 milhões), ficando atrás apenas do Dia das Mães (R$ 1 bilhão) em movimentação econômica. Isso mostra que, na pandemia, os mais velhos estão em primeiro lugar e o pior da crise vai ficando para trás.

O levantamento também procurou saber dos consumidores quais serão os presentes preferidos. Em primeiro lugar estão as roupas (53,5%); seguidas por perfumes e cosméticos (20,3%); calçados e acessórios (20,3%); livros e E-books (8,6%), smartphones (4,3%); joias e relógios (3,7%) e computadores e tablets (2,1%). Sobre onde vão comprar, a pesquisa identifica que os fluminenses estão divididos: 44,9% em lojas físicas, 36,4% em lojas on-line e 18,7% em ambas.

Apesar do Dia dos Pais de 2020 acontecer em meio ao distanciamento social provocado pelo novo coronavírus, e, ser menor economicamente que em 2019, a data se apresenta como a de melhor recuperação segundo avaliação da Fecomércio e entidades comerciais do Sul Fluminense.

Em toda a região, com as medidas de flexibilização o comércio adotará expediente diferenciado neste sábado e alguns shoppings da região terão funcionamento ampliado para atender aos clientes. As campanhas promovidas garantem sorteio de vales-compras e descontos promocionais de até 70% em mercadorias para presente no Dia dos Pais.

COMPRAS DE ÚLTIMA HORA

Como de praxe em datas comemorativas, o Dia dos Pais deve levar milhares de consumidores às ruas neste sábado, véspera da celebração em família. As compras de última hora geram expectativas para os lojistas e também consumidores. “Passo a semana toda olhando as promoções, pesquisando preços e no sábado, com a agenda livre, vou para as compras. São presentes para o meu pai e o meu marido. Pretendo gastar no máximo R$ 200 com tudo e ajudar os filhos a presentear ambos. O que nunca falha é comprar camisa, todo ano eles ganham uma”, comenta a dona de casa Maria Aparecida Fonseca, 54 anos, de Resende. 

Pai da Yasmin, seis meses, o industriário Sandro Nogueira, 29 anos terá o seu primeiro Dia dos Pais com a expectativa de ganhar muitos presentes. “Será o meu primeiro Dia dos Pais, é diferente porque antes eu sempre comprava e agora ganhar também será bem-vindo. Se a esposa perguntar, tenho uma lista imensa do que preciso, mas acho que virá mesmo uma sandália ou roupa”, brinca.

Para os comerciantes as compras de última hora podem elevar o faturamento, ainda que a oferta de mercadorias tende a ficar reduzida. “Quem deixa para comprar perto dessas datas festivas corre o risco de não achar o que desejava ou ter bem limitada a oferta de mercadorias à venda. A loja funcionará neste sábado até às 14 horas e todos os vendedores estão atentos e ansiosos para fechar suas vendas. Temos vários itens em promoção como cintos, carteiras, meias, gravatas, camisas, sapatos. O que mais vendemos são as roupas, depois os acessórios”, comenta o gerente Pedro Paulo Medeiros.

error: Conteúdo protegido !