Dia do Amigo: Para chorar, sorrir e celebrar, quem tem um tem tudo

0

Por Arlindo Novais ([email protected])

e Rebecca Cardoso ([email protected])

 SUL FLUMINENSE

Existem músicas, poemas e inúmeras frases feitas para expressar a importância do elo de amizade entre pessoas. Há quem diga que é precioso e deve ser guardado debaixo de sete chaves, mesmo que o tempo e a distância digam “não”. Ainda há teorias que tentam traduzir a relação de amizade como sendo aquela que se mantém com o ‘irmão escolhido’. Algumas começam ainda na infância e, verdadeiras que são, seguem durante as demais fases da vida. Outras são alicerces para algo ainda maior, como a união de tudo, através do matrimônio.

Há o amigo chato, que nos aconselha como mãe ou pai; amigo carente, que tudo é saudade; amigo brisa, que torna tudo mais leve; amigo doido, que nos ajuda a não levar a vida tão a sério… Mas, amigo mesmo é aquele que é tudo isso em um só. Que age da forma adequada naquele momento em que o outro precisa de certo ‘ajuste’. Para homenagear amizades sinceras, a equipe de reportagem do A VOZ DA CIDADE decidiu dividir com os companheiros de todas as horas, vocês leitores, nossa atenção a depoimentos tão verdadeiros sobre elos tão especiais!

Estudiosos destacam benefícios das amizades na vida das pessoas. A coach de carreira e especialista em programação neurolinguística, Renata Alarcão, lembrou que o ser humano é sociável, então tem a necessidade de viver em conjunto. E esses grupos se formam a partir de laços de afinidade. “No fundo uma das necessidades básicas do ser humano é a aceitação. Então a amizade é a relação onde você aceita os outros, “apesar de”. A amizade é muito importante em qualquer esfera de relacionamento, porque todos nós temos essa necessidade de nos sentirmos amados e de fazer parte onde possamos ser representados e, sobretudo, entendidos”, destacou Renata.

Especialista destaca benefícios das amizades e lembra que relação também exige esforço e dedicação como qualquer outro relacionamento

A especialista disse ainda que em uma época em que as redes sociais ditam as formas dos relacionamentos, as amizades são ainda mais importantes. “O que as pessoas buscam nas redes sociais é aceitação, e mais do que isso é incentivo, reconhecimento. Então isso acaba sendo feito de forma virtual, mas o mais interessante é que isso seja feito no meio real, porque nada substituiu o abraço, o beijo, o olhar cúmplice. O ser humano precisa desses sinais fisiológicos para dispararem nele substâncias do bem; são elas: endorfina, serotonina, dopamina”.

Do ponto de vista profissional, a coach disse que é muito bom que as pessoas desenvolvam relações de amizade no local de trabalho. “O ambiente fica mais leve. A gente tem que saber que é um local onde tem que se ter uma determinada postura, mas muitas vezes passamos mais tempo no trabalho do que com a própria família. Então é fundamental que tenhamos um ambiente cortês, de confiança e de estimulação mútua. Isso tudo são características da amizade”, garantiu.

Renata disse que apesar de ser uma relação mais leve, a amizade também exige esforço e dedicação como qualquer outro relacionamento. “A amizade é uma relação mais leve, porque ela não tem o peso da posse. Quando se fala de uma relação afetiva emocional, ela tem uma questão de exclusividade e de monogamia. Na amizade o ideal é que não exista isso. O ideal é que as pessoas compartilhem e os amigos dos amigos se tornem nossos também. Mas a relação exige esforço e dedicação, porque para ser amigo de verdade é preciso se conhecer e para isso é necessário conviver”, explicou.

QUANDO A AMIZADE VIRA CASAMENTO

E há casos em que a amizade ganha tanta força que acaba se tornando uma relação de marido e mulher. Foi assim com o DJ Wellington Ferreira e a esposa Michele Adriano. Há sete anos juntos, cinco casados, o romance deles começou com uma amizade. “Nossa família sempre foi amiga, mas nós nos conhecemos há sete anos. Nós éramos amigos de verdade, confidentes. Ela me arrumava namoradas. E o interesse partiu de mim. Um suposto amigo pediu para ficar com ela, eu fiquei com ciúmes e descobri que eu estava gostando dela. Falei com ela, mas no começa não levou muita fé porque disse que eu era muito ‘galinha’, mas eu já estava gostando dela”, revelou.

Da união de Wellington e Michele veio o pequeno João Guilherme, de quatro anos – Foto: Arquivo pessoal

Depois de cinco anos casados e com um filho de quatro anos, Wellington disse que a amizade e o amor pela esposa só aumentaram. “Depois de casados e com um filho algumas coisas mudam, mas a amizade continua e o amor fica mais forte. A Michele é minha eterna namorada e melhor amiga. Ela continua sendo minha confidente e a Michele continua contando tudo para mim. Nossa relação está melhor a cada dia, não sei viver sem aquela mala sem alça”, declarou-se Wellington.

Questionado sobre qual a dica ele daria para aquela pessoa que está passando pela mesma situação, de estar apaixonado por um amigo ou amiga, o DJ foi taxativo. “Invista, fale a verdade. Mesmo se for quebrar a cara, que não foi o meu caso, graças a Deus, mas invista, não esconda os sentimentos, pois outra pessoa pode vir e conquistar o seu amor”, afirmou.

Quem também encontrou o amor caminhando pelo campo da amizade foi a servidora pública Mayara Caneda. Ela conheceu o noivo João Victor em 2012, quando trabalharam juntos, mas a afinidade no local acabou se tornando algo a mais. “Gostava de estar com ele, de conversar… Trabalhávamos juntos e nossos colegas da época achavam que ele implicava muito comigo. Antes de ficarmos, conversamos muito porque trabalhávamos juntos e nos dávamos muito bem e não queria perder isso. Mas desde que aconteceu, não nos largamos mais”, contou Mayara que revelou que só oficializou a relação quatro meses depois do primeiro beijo.

Em todo esse tempo, a servidora pública disse que a amizade permanece e acredita que isso ajuda a manter o relacionamento. “Nossa parceria aumenta cada dia mais. Nossos esforços para continuar construindo nossas vidas juntos. O fato de sermos amigos nos ajuda a resolver as dificuldades que vão surgindo no caminho”, finalizou.

O A VOZ DA CIDADE foi às ruas de Barra Mansa para conversar com moradores e saber qual o recado eles gostariam de deixar no Dia do Amigo. Muitos abriram o coração e se lembraram de pessoas especiais.

Foto: Fábio Guimas

“Neste Dia do Amigo eu aconselho as pessoas a serem mais equilibradas, a saberem ser mais tolerantes e procurarem fortalecer o lado espiritual, que é o mais importante. Depois, basta ser paciente e bastante sincero que a amizade prevalece, assim como eu tenho há 50 anos o meu amigo José Francisco”, Sebastião Geraldo Gonçalves, 72 anos, aposentado.

Foto: Fábio Guimas

“Eu gostaria de desejar tudo de bom para o meu amigo Sebastião, que Deus continue abençoando ele e a nossa amizade. São 50 anos de história, desde o tempo em que éramos solteiros”, José Francisco da Silva, 74 anos, mecânico aposentado.

Foto: Fábio Guimas

“É bom ter amigos nos momentos ruins e também nos de alegria. Agradeço aos meus por tê-los para desabafar, mas também na hora de comemorar. Queria deixar um abraço especial aos meus amigos Leandro de Almeida, Luís Cláudio, Vanderson e Ary”, Rafael Rodrigues Macedo, 33 anos, representante comercial.

Foto: Fábio Guimas

“Não sabia que era Dia do Amigo, mas quero deixar o meu abraço a todos os meus amigos e dizer que estamos juntos para o que der e vier”, Charles Henrique, 16 anos, estudante.

Foto: Fábio Guimas

“Queria mandar um abraço a todos os meus amigos, que Deus abençoe a nossa amizade e dizer que estamos juntos”, Roberto Carlos da Silva, 18 anos, estudante.

Foto: Fábio Guimas

“Eu tenho um grupo de amigos e gostaria de dizer que apesar da vida ter distanciado alguns, às vezes vai morar em outra cidade, correria do trabalho, como foi o caso do meu irmão, queria deixar um abraço para todos eles, especialmente para a minha namorada Jéssica, que é uma grande amiga”, Fábio Machado, 23 anos, autônomo.

 

error: Conteúdo protegido !