Denúncia contra prefeito e vereadores teria partido de outro parlamentar

0

BARRA MANSA
A denúncia que originou a investigação feita pelo Ministério Público contra o prefeito Rodrigo Drable e mais vereadores, foi feita pelo também parlamentar Gilmar Lelis (Cidadania). Segundo ele, houve uma oferta de R$ 30 mil e ajuda na campanha de reeleição para votar a favor da aprovação das contas do prefeito no mês de maio deste ano. As contas foram reprovadas pelo TCE e aprovadas por 14 dos 19 vereadores. Caso as contas fossem reprovadas, o prefeito ficaria inelegível.
Hoje de manhã uma operação foi realizada, o que levou o afastamento do prefeito e dos vereadores Paulo Chuchu (DEM), presidente da câmara, e de Zélio Show (PRTB).
Há um vídeo divulgado onde Zélio Show admite que teria uma tentativa de pagamento de propina em troca do voto favorável à compra. “Já te falei, Lelis. Ele vai te dar trinta ‘real’ para você votar e te dar uma ajuda na campanha. E assumir o compromisso agora, como assumiu comigo. Agora, ele vai te dar trinta ‘conto’ e, na campanha, ele vai te dar mais isso aqui”, disse. Existem outros vídeos.
Um outro é uma conversa com o prefeito Rodrigo Drable. “O Zélio disse que ia conversar contigo. O que ele conversou ‘tá’ de é. Irmãozinho eu não deixo furo com esse compromisso. Daqui a duas horas o negócio acabou e eu te encontro, ou Zélio, o que ficar mais confortável para você”, diz no vídeo gravado pelo vereador.
A operação foi realizada pelo Ministério Público do Estado Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atribuição Originária Criminal da Procuradoria-Geral de Justiça (GAOCRIM/MPRJ), e a Polícia Civil, por meio da Coordenadoria de Investigação de Agentes com Foro (CIAF). Foram cumpridos outros mandados de busca e apreensão na prefeitura e na câmara, além de outros endereços ligados aos envolvidos. Além do prefeito e dos vereadores, foi alvo o coronel da Polícia Militar Jorge Ricardo da Silva, ocupante de cargo comissionado da prefeitura.
Eles são suspeitos de integrarem uma organização criminosa e por prática de corrupção ativa.
Além da autorização de cumprimento de 11 mandados de busca e apreensão, o Juízo determinou o afastamento dos denunciados de suas funções públicas.
O processo tem sigilo legal decretado, razão pela qual não é possível fornecer mais informações no momento.
CONTAS
Gilmar Lelis foi um dos que votou contra as contas do prefeito, assim como Thiago Valério, Marcell Castro, Mauro Sabino, todos do Cidadania, e Vicente Carneiro Leão Filho, o Vicentinho (PSB).
RESPOSTAS
O A VOZ DA CIDADE está buscando respostas das defesas dos envolvidos. Até o momento ninguém se manifestou.

Em nota, a Câmara de Barra Mansa se manifestou. “Diante do cumprimento de mandados de busca e apreensão nesta casa legislativa e nos endereços do vereador Zélio Resende Barbosa e do presidente da câmara Paulo Afonso Sales Moreira, a Câmara Municipal de Barra Mansa declara que ainda não foi comunicada oficialmente do afastamento dos vereadores de suas funções públicas. Entretanto, na ausência do presidente, as funções legislativas e administrativas da casa são assumidas pelo 1º vice-presidente, Luís Antônio Cardoso, conforme regimento interno. As sessões agendadas para esta semana serão reagendadas para este mês ainda, para cumprir o mínimo de reuniões mensal, exigido regimentalmente”, diz a nota.

error: Conteúdo protegido !