Delegado pede prisão preventiva de mais um suspeito da morte do mecânico no bairro Freitas Soares, em Porto Real

0

PORTO REAL

O delegado titular da 100ª Delegacia Legal de Polícia Civil (PORTO REAL) Marcelo Haddad informou, nesta quarta-feira, que pediu a juíza titular da Vara Única da Comarca de Porto Real/Quatis, Priscila Dickie Oddo, a prisão preventiva de Jhonatan de Souza Oliveira, 19 anos. Ele é irmão do menor, de 17 anos, que foi identificado como suspeito da morte do mecânico, Edson Calixto Gomes, 30 anos, mais conhecido como “Preto”, que morava no bairro Jardim das Acácias. Preto foi morto com vários tiros, no período da tarde de segunda-feira, por um homem desconhecido que estava na garupa de uma bicicleta, no bairro Freitas Soares. Além do pedido de prisão preventiva de Jhonatan- que foi preso pela Polícia Civil, na terça-feira, junto com um menor de 17 anos, sob suspeita de envolvimento com o tráfico de drogas no bairro Freitas Soares-, o delegado Haddad também solicitou a Promotoria do Ministério Público da Vara de Infância e Juventude de Porto Real, a apreensão do irmão de Jhonatan, um menor também de 17 anos, que atirou contra o mecânico.

Bicicleta que foi utilizada pelos suspeitos foi apreendida-Divulgação

Em menos de 15 horas do assassinato do mecânico Edson, o Grupo de Investigações Criminais (GIC) conseguiu identificar os suspeitos do crime e ainda prender um deles. “Em tempo recorde conseguimos identificar os suspeitos da morte da vítima. O menor havia sido identificado por nossos policiais com a ajuda de testemunhas e até de familiares dele. Já Jhonatan, havia sido preso na tarde de quarta-feira no bairro Freitas Soares. Ele e um menor, foram detidos em uma residência da Rua Trinta e Sete, com sete trouxinhas de maconha, dois pinos de cocaína, duas pedras de crack e a quantia em dinheiro de R$380,00. Algumas horas depois, foi confirmado que ele era quem conduzia a bicicleta, onde estava o irmão, menor de idade, saltou da garupa e foi até Edson, atirando a sangue frio. Jhonatan vai responder por homicídio”, explicou o delegado Marcelo Haddad, informando que o menor ainda está foragido. “Já pedi a Promotoria a apreensão do menor e equipe está fazendo diligências para tentar localizá-lo”, completou.

De acordo com a Polícia Civil, o crime teria como motivação do assassinato seria briga de facções criminosas. “Com a ajuda das imagens das câmeras de segurança conseguimos identificar o menor. A motivação do crime é briga de facções. Preto, que já tem passagens por envolvimento com o tráfico de drogas seria da facção criminosa do 3º Comando e estaria no local que é dominado pelo Comando Vermelho. O menor foi até o encontro da vítima e aproveitou a ocasião para matá-lo”, contou o chefe do GIC, Wlamir Santos.

CRIME

“Preto” foi morto com vários tiros quando estava na calçada de uma peixaria no bairro Freitas Soares-Redes Sociais

O crime aconteceu por volta das 14h40min, em frente uma peixaria localizada no final da Avenida B. A ousadia do assassino foi tanta que ele nem se preocupou de que havia várias pessoas estavam no local do crime e desferiu vários disparos de arma de fogo contra a vítima que já tombou sem vida. “Imagens de câmeras de segurança em estabelecimentos próximo ao crime mostram quando o criminoso estava na garupa de uma bicicleta. Ao aproximar do grupo que estava sentado em frente à peixaria, o homem pulou da bicicleta e já de arma em punho, teria chamado a vítima, disparando o primeiro tiro e em seguida, com o mecânico já caído na calçada, efetua vários tiros”, contou um agente da civil, informando que para fugir do local, o suspeito faz disparos para o alto e fogo a pé para local ignorado.