Pessoas indiciadas por agressão a jovem disseram na delegacia desconhecer motivo para violência

0

VOLTA REDONDA

Como já havia adiantado ao A VOZ DA CIDADE na manhã de segunda-feira, 18, o delegado titular da 93ª Delegacia de Polícia (DP), Welington Vieira, indiciou por lesão corporal e dano qualificado sete pessoas envolvidas na agressão contra um jovem, de 20 anos. Mais uma pessoa foi indiciada hoje, 19. Em depoimento, os agressores teriam confessado a agressão, mas não souberam informar qual foi o motivo inicial do tumulto. “Eles declaram que participaram da agressão porque viram os outros participando, mas não sabiam a razão”, informou o delegado.

Agressão ao jovem de 20 anos e a depredação de seu carro ocorreu na madrugada do último domingo, 17, em frente a uma casa noturna, no bairro Jardim Amália, onde aconteceu uma festa de confraternização do Torneio Universitário do Sul Fluminense (TUSF), que reuniu milhares de estudantes de 14 universidades da região.

A confusão teria iniciado, de acordo com o depoimento da vítima, quando ao tentar passar de carro pela rua onde havia uma aglomeração de jovens, teria esbarrado em alguns deles que estavam no meio do caminho. E em seguida, na tentativa de sair do local, teria dado marcha à ré e esbarrado em um carro de aplicativo. Foi o momento que a agressão iniciou.

O jovem que sofreu ferimentos pelo corpo e não havia registrado queixa na 93ª DP, só foi localizado na manhã de segunda-feira pelo delegado Wellington Vieira, quando prestou depoimento.

Todos os suspeitos, que prestaram depoimento, foram identificados através das imagens de vídeos que desde o momento do tumulto estão circulando nas redes sociais. Somente um deles compareceu à delegacia por livre e espontânea vontade. Os outros foram convocados.

UM ATO DE ÓDIO

O delegado Wellington Vieira classificou o caso, que teve grande repercussão, como ato de ódio. “O rapaz poderia ter morrido durante as agressões. Foi um ato de muito ódio”, destacou o delegado, lembrando que conforme o depoimento do rapaz, ele só conseguiu sair do local com a ajuda do motorista do aplicativo, que também já prestou depoimento. Por pouco o rapaz não foi linchado pelos envolvidos. O delegado informou ainda que os envolvidos irão responder em liberdade.

 

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !