CVV pede ajuda aos vereadores durante encontro no Legislativo

0

RESENDE

As necessidades do Centro de Valorização da Vida (CVV) foram discutidas durante uma reunião ocorrida ontem entre vereadores e voluntários. O encontro aconteceu no Legislativo e foi agendado depois de uma visita do coordenador do CVV, Orlando da Silva Paulo, ao gabinete do vereador Tiago Vieira Martins da Silva, o Tisga (PPS). Foi relatada a dificuldade da entidade em atuar no atendimento da prevenção ao suicídio.

Estiveram presentes no encontro o presidente da Câmara, Roque Cerqueira (PDT), o vereador Tisga – que solicitou a reunião, e os vereadores: Sandro Ritton (PPS), Reginaldo Engenheiro Passos (PSB), De Araújo (PMDB), Edson Peroba (PPS), Odair Ozório (PSD) e Sérgio Lima (PRB). Representando o CVV, participaram o coordenador do posto de Resende, Orlando da Silva Paulo, a vice-presidente da mantenedora e voluntária Eliene Aparecida Torino, e o secretário da mantenedora e voluntário Milton Wolfe.

Segundo os voluntários, o CVV não conta com fontes de recursos e nem sede própria. É custeado por meio da contribuição de voluntários e de doações. No entanto, segundo o coordenador Orlando, a demanda pelo serviço deve aumentar nos próximos meses, uma vez que o atendimento passou a ser prestado por meio de ligações telefônicas gratuitas.

Ele esclareceu que o número é o 188 e as ligações estão gratuitas desde o último domingo por conta de uma parceira com o Ministério da Saúde, e já movimentou as linhas telefônicas.  Segundo a voluntária Eliene Torino, que faz os atendimentos por telefone, já houve um aumento significativo no número de ligações.

Dentre os pedidos o coordenador do posto em Resende falou da necessidade uma sede urgente, assim como de uma estrutura com internet para atender esses cidadãos. “A procura é muito grande e o assunto é muito sério, porém, as pessoas ainda tratam o suicídio como um tabu”, disse Orlando Paulo.

O vereador Tisga disse que é importante essa união com o CVV e que o Legislativo se comprometa em buscar ajuda da prefeitura. “Precisamos buscar informações com a prefeitura sobre espaços que não estejam sendo ocupados e que possam ser utilizados pelo CVV. O trabalho que o Centro faz é de extrema importância, lembrando que, somente na nossa cidade, foram três casos de suicídio nos últimos dois meses – o que é assustador para um município do porte de Resende”, comentou Tisga, convidando os demais vereadores para elaboraram requerimentos, indicações e projetos para ajudar a entidade.