Cristãos celebram a Páscoa relembrando a ressurreição de Jesus

0

SUL FLUMINENSE

Cristãos trocaram as preces reflexivas da Quaresma por cânticos de glória durante todo o domingo, quando igrejas católicas e de diferentes denominações evangélicas comemoraram a Páscoa – a ressurreição de Jesus – neste domingo, dia 1º. Durante missas e celebrações, o sentimento dos fiéis se assemelhava na mesma gratidão por aquele que proporcionou à humanidade vida nova; fazendo o espírito prevalecer sobre a matéria; ensinando que há vida após o perecer do corpo e que o amor e a misericórdia vencem o mal ao qual suportou por toda a criação de Seu Pai, que é Deus.

Sobre o período da Páscoa, o bispo da diocese Barra do Piraí – Volta Redonda, Dom Francisco Biasin, refletiu em publicação aos fiéis sobre a transição no sentido treva-luz. “São termos antagônicos e definem em todas as culturas a noite e o dia, mas também o mal e o bem, a morte e a vida, a mentira e a verdade. Será que tem sentido falar de luz e trevas no nosso tempo em que se troca a noite pelo dia, a luz do sol por holofotes de intensíssima luz, o repouso pela produção, a atividade pelo prazer, a gratuidade pelo interesse? Talvez devamos ressignificar ou até reinventar o seu sentido… O mundo parece doente e as relações internacionais entre estados e nações são ameaçadas por ventos de guerra! Assim reaparecem as perguntas inevitáveis e fundamentais: Quem somos? A que viemos? Pra onde vamos? Por que nos agitamos? Que mundo é este? Para que serve ser bom e honesto? A escuridão do calvário também envolveu e atingiu na alma Aquele que tinha afirmado “Eu sou o caminho, a verdade e a vida!”, pois gritou: “Por quê?”. Neste grito estão contidos todos os “porquês” da humanidade de todos os tempos e de todos os lugares! Ele assumiu todas as nossas angústias de tal forma que ninguém pode dizer, nem pensar: Deus não me compreende e está longe de mim e da minha dor!”, destacou.

O bispo também citou o exemplo de Santa Tereza de Calcutá, que deixou escrito: “Se eu alguma vez vier a ser santa, serei certamente uma santa da “escuridão”. Estarei continuamente ausente do Céu para acender a luz daqueles que se encontram na escuridão na terra”. Talvez seja essa a missão de quem alcançou a luz; de quem nasceu de novo como verdadeiro filho de Deus.

BARRA MANSA

Na cidade, os ofícios religiosos começaram cedo, às 6 horas, com Procissão da Ressurreição do Senhor, percorrendo ruas centrais e dos bairros Verbo Divino e Cotiara; terminando na Igreja Matriz de São Sebastião, onde aconteceu Santa Missa às 7h30min. Também houve celebração às 17h e às 19 horas.

“Páscoa é recomeço; é a possibilidade que Deus nos deu, através do profundo amor de Jesus, de nascermos de novo em vida terrena. É fruto da misericórdia e do perdão. Hoje é um dia muito feliz; é dia de agradecer por essa possibilidade do céu que nos foi dada”, disse a professora Maria do Carmo de Oliveira Duque, de 55 anos.

Quem também externou o sentimento de gratidão foi o contador aposentado Jairo Estrela, de 68 anos. “Muitas pessoas estão aqui (procissão) caminhando conosco, mas essa caminhada é apenas física. Muitos também já compreenderam que o calvário de Jesus é o mesmo que o nosso; mal conseguiu andar porque estava ferido, mas o espírito deu passos largos. É isso que temos que fazer: andar com o espírito; evoluir; nascer de novo. Isso que é a Páscoa; é o despertar para essa nova condição que Jesus veio nos ensinar: agir com o espírito; conforme o esperado por Deus”, destacou.