Cresce busca por máscaras e álcool em gel em farmácias de Resende

0

RESENDE

Com a divulgação do primeiro caso suspeito de Coronavírus (Covid 19) no município, a população correu para as farmácias em busca de itens de proteção individual como máscaras cirúrgicas e álcool gel. Das dez farmácias visitadas pela equipe de reportagem do A Voz da Cidade no bairro Campos Elíseos, principal Centro Comercial da cidade e de cinco no bairro Manejo, em nenhuma havia produtos de proteção. Só uma farmácia de manipulação havia o álcool em gel em poucas unidades. Além da falta das máscaras e do álcool em gel, alguns proprietários de farmácias contaram que as distribuidoras já aumentaram os valores devido a grande procura.

Segundo a gerente Priscila Regina Cardoso, de uma farmácia localizada na Avenida Alfredo Whately, a procura foi alta pela máscara e o álcool em gel que o estoque zerou. “Já não tenho mais álcool e nem a mascara desde a manhã desta sexta-feira. A procura aumentou significativamente. Em menos de 12 horas vendemos as 36 caixas com 100 mascaras que tínhamos e todo o estoque do álcool em gel. Desde que foi anunciado, na quinta-feira, o primeiro caso suspeito de Coronavírus que as pessoas estão correndo atrás dos produtos”, disse a gerente, informando que além da procura, algumas distribuidoras também já aumentaram o valor dos produtos para os estabelecimentos comerciais. “Fui encomendar hoje de manhã e levei um susto. Uma caixa de máscara com 50 unidades que estava sendo repassada por R$10 anteriormente, hoje estava sendo vendida por R$220. Achei um absurdo e reclamei com a distribuidora. Os funcionários contaram que está difícil encontrar no estado o produto e estão encomendando de outros estados”, informou.

Em outra farmácia também na Rua Alfredo Whately, a procura está grande, que tem pessoas que estão levando o lenço umedecido no lugar do álcool em gel. “A procura pelas máscaras e álcool em gel está grande. As pessoas já entram aqui e logo perguntam se tem máscara e álcool em gel. Quando recebem a informação que está em falta, acabam levando o lenço umedecido para passar no corpo. De cada dez pessoas que entram na farmácia, nove perguntam dos produtos”, contou o farmacêutico Fábio Resende.

“A gente não tem mais nada. Todas as máscaras e os vidros já foram vendidos desde cedo. A gente mal tinha acabado de abrir a farmácia e já tinha gente entrando e pedindo os produtos. Resultado, em menos de três horas já tínhamos vendido tudo”, contou a auxiliar de loja, Cristiane Almeida, informando que o proprietário já pediu reposição dos produtos. “Neste sábado teremos algumas unidades, mas a reposição total do estoque só na segunda-feira”, comentou.

No bairro Campos Elíseos só uma farmácia de manipulação ainda tinha estoque de álcool em gel-Cyntia Freitas

Dos estabelecimentos comerciais visitados pela reportagem, apenas uma farmácia de manipulação em Campos Elíseos estava vendendo o álcool em gel. “Estamos repondo o estoque toda hora para suprir a procura. A gente vendia 150 frascos em 20 dias. Agora, já vendemos mais de 100 em apenas algumas horas. Tem pessoas que estão até encomendando por telefone”, disse a atendente Aline da Silva, informando que o laboratório vai ter que trabalhar mais nos próximos dias.

EM BUSCA DE PROTEÇÃO

A aposentada Luiza de Assis, 77 anos, era uma das pessoas que estava a procura do álcool em gel. Ela disse que está preocupada com a possibilidade de contaminação, uma vez que tem problemas respiratórios e é cardíaca. “Fiquei assustada com a notícia do caso suspeito do Coronavírus e sai a procura do álcool em gel nas farmácias, mas não estou encontrando. Quero me prevenir, sou alergia e tenho problemas cardíacos”, disse a aposentada.

“Ah, quando ouvi falar sobre o caso do Coronavírus, nem dormi direito. Desde cedo estou correndo as farmácias para comprar a máscara cirúrgica e o álcool em gel. Até agora só consegui o álcool, mas já encomendei duas caixas de máscaras em uma farmácia aqui do bairro Manejo”, contou uma dona de casa que pediu pra não se identificar.

Já o auxiliar de escritório João da Silva, foi até a farmácia em busca de máscara cirúrgica e álcool em gel para a esposa e o filho recém-nascido. “O álcool em gel a gente já estava acostumado ter em casa. Como só tenho um vidro, resolvi comprar mais e ainda máscaras. Quero a prevenção pra mim e para minha família”, explicou Silva.

(BOX RETICULADO)

PREFEITURA ACOMPANHA PACIENTE

Em nota oficial enviada pela secretaria de Saúde de Resende, a prefeitura disse que acompanha permanentemente o caso de uma paciente com notificação suspeita de infecção por Coronavírus. “Até a manhã desta sexta-feira, dia 28, não houve qualquer alteração no quadro de saúde da paciente, que após ser atendida em um hospital particular da cidade está em casa, onde aguarda o resultado de exames que podem confirmar ou não a doença”, informava a nota.

Com quadro clínico de sintomas respiratórios leves e não portadora de doenças crônicas, a paciente foi liberada na quinta-feira, dia 27 para tratamento domiciliar, sendo orientada a isolamento social em sua residência. Ela vai ser acompanhada pelo serviço de epidemiologia do município.

“Importante destacar que o caso é uma suspeita, não sendo necessário alarmar a população, mas, é importante continuar tendo os cuidados básicos de prevenção ao contágio, como lavar as mãos com água e sabão ou usar antisséptico à base de álcool, limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado e não compartilhar objetos de uso pessoal”, apontou uma nota oficial da Prefeitura, ressaltando que todos os protocolos determinados pelo Ministério da Saúde foram e estão sendo cumpridos.

“Segundo protocolo determinado pelo Ministério da Saúde, a paciente teve material coletado para análise e enviado para o laboratório central de saúde pública do estado (LACEN-RJ). O resultado deve sair em até 72 horas”.

Em sua página de rede social, a Prefeitura, ainda esclarece que o Rio de Janeiro, por meio de uma iniciativa do Governo do Estado, em parceria com os 92 municípios, possui um plano de contingência para preparar as unidades para casos de emergência e também para receber casos suspeitos do Coronavírus.

O aviso ainda informou que na semana passada, todos os secretários municipais da área e os responsáveis pela Vigilância em Saúde de Resende foram convocados para uma reunião na capital, que apresentou diversos temas acerca da doença e quais as estratégias serão adotadas para o Estado. “Além disso, Resende promoveu uma importante palestra, no dia 20, voltada para profissionais da saúde, com a presença do médico Marco Antônio Netto, epidemiologista da rede. Na ocasião, os participantes receberam orientações sobre prevenção, conduta e também atualizações para alinhar nossa cidade com todos os outros municípios, mantendo sempre a qualidade no atendimento. É muito importante que a população não fique preocupada, pois não existe uma epidemia no Brasil Porém, as pessoas não podem deixar de garantir a prevenção e os cuidados estabelecidos pelo Ministério da Saúde. Dessa forma, protegemos nosso país e nossa família da doença”, informa.

Entre as medidas de prevenção estão: Proteger nariz e boca ao espirrar ou tossir; Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres e copos;  Lavar frequentemente as mãos, especialmente após espirrar ou tossir; Evitar ambientes com muita aglomeração e Utilizar álcool em gel nas mãos.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !