Consumidores mudam hábitos e barras de chocolate e bombons são opções para Páscoa

0

BARRA MANSA
Em meio à crise econômica, muitas pessoas tiveram que mudar seus hábitos de consumo. Além de pesquisar mais, muito consumidores estão optando por opções mais baratas e a situação não é diferente quando o assunto é Páscoa, comemorada no próximo dia 1º de abril. Os tradicionais ovos de chocolate estão dando lugar às caixas e barras por causa do preço.

O A VOZ DA CIDADE percorreu alguns supermercados e constatou a grande diferença de preços entre os produtos, que gira em torno de R$40, R$50. Gerente de um supermercado no Centro de Barra Mansa, Luiz Otávio Barbosa Castro revelou que deixou de investir em ovos de páscoa por conta da baixa procura e venda.

“Percebi que tinha mais prejuízos. Tinha pouca assistência das marcas, pouca variedade e muitos ovos sobravam, quebravam e eu ficava com o prejuízo. Tem uns três anos que já estamos assim: investindo somente em barras de chocolate e caixas de bombons e para nós está dando resultados”, contou.
Já o gerente de uma rede de supermercados, também no Centro, Henrique Bortoloso, disse que percebeu uma mudança nos hábitos dos consumidores dos últimos anos para cá. De acordo com ele, a maior parte das pessoas que compram ovos de Páscoa tem como foco os temas infantis, enquanto os adultos preferem as barras de chocolate ou as caixas de bombons.

“Nós percebemos uma mudança de comportamento e estamos investindo em promoções das barras de chocolate e caixas de bombons. A gente percebe também que os ovos são mais voltados para as crianças, muito por causa dos brinquedos, das cores e o preço realmente é mais elevado, mas os adultos estão preferindo comprar mais de uma caixa de bombom ou então várias barras”, disse.

Bortoloso revelou ainda uma estratégia que vem sendo adotada pela rede de supermercados, que é a de investir em sua marca própria de ovos de chocolate. “Percebendo que as pessoas estão buscando alternativas mais baratas. Nós aumentamos a produção dos ovos da nossa marca, que acaba sendo mais em conta e que mantém a tradição”, declarou.

PREÇOS X ECONOMIA
O A VOZ DA CIDADE fez um levantamento em alguns supermercados para saber o valor dos ovos de Páscoa e também barras de chocolate e bombons. O preço do ovo da marca Garoto, de 180 gramas, varia de preço de um estabelecimento para outro, e pode ser encontrado na faixa de R$ 35. A barra da mesma marca e do mesmo peso pode ser encontrado na faixa de R$ 4. Já os ovos que contêm um brinquedo ou tema de um personagem infantil costumam ser os mais caros. O Kinder Ovo, de 100 gramas, por exemplo, gira em torno de R$ 43, podendo chegar a até R$ 47. O ovo da Nestlé, do Homem Aranha, de 150 gramas, pode ser encontrado por R$ 53.

O biólogo Frederico Fernandes disse que não pretende comprar ovos de Páscoa esse ano por causa do preço e afirmou que deve investir em ovos caseiros ou nas barras de chocolate. “Estou achando muito caro. Estou pensando ainda se compro um ovo caseiro, daqueles gourmets, de colher, ou outra coisa. A barra de chocolate, por exemplo, é algo muito mais vantajoso”, afirmou.

Buscando poupar, a engenheira de segurança do trabalho, Taiani Viana, disse também preferir os ovos gourmets. Ela acredita que esses produtos são mais saborosos do que os de marcas famosas, além do preço ser mais justo em comparação a quantidade de chocolate. “Eu prefiro não comprar ovos de Páscoa de grandes marcas. Costumo comprar as barras de chocolate, que muitas vezes se você pegar duas delas; dá a mesma quantidade de peso que um ovo. Tenho preferido os ovos artesanais, aqueles de colher, trufados, porque são feitos com materiais de boa qualidade e possuem um preço mais justo, vindo até mais chocolate que os tradicionais de marcas famosas” falou.

EMPRESÁRIOS ESPERANÇOSOS
A expectativa dos empresários é de que esse ano a Páscoa seja melhor que a do ano passado, movimentando não só o setor de chocolates, mas também o de bares, restaurantes, peixarias e até o de turismo. De acordo com a Câmara de Dirigentes Lojistas de Barra Mansa, o fim do ano passado mostrou sinais de aquecimento no varejo. A economia do país teve uma leve melhora e saiu da recessão. Por isso, acredita-se que as datas do calendário comercial, esse ano, sejam positivas. A queda da inflação, somada aos juros mais baixos e à retomada de confiança do consumidor, indicam crescimento nas vendas do varejo como um todo.

A perspectiva da entidade é de um crescimento de aproximadamente 6% nas vendas. Na semana que antecede o feriado, alguns lojistas do setor esperam registrar um aumento de 30% ou mais nas vendas.
“Todo lojista acaba se adequando ao que cabe no bolso do consumidor nos dias de hoje para que tenha bons resultados nas vendas em datas como essa. Por isso vemos tanta inovação e produtos diversificados que acabam atraindo uma parte maior de clientes. Essa é a diversidade do nosso varejo”, pontuou Xisto Vieira Neto, presidente da CDL Barra Mansa.