Conheça os candidatos à Prefeitura de Volta Redonda

0

Alex Martins (40) – PSB

Foto: Divulgação

Alex Martins Rodrigues tem 42 anos, é advogado, formado pelo UBM desde 2002, pós-graduado em Direito do Trabalho e mestre em Direitos Sociais e Cidadania.  Casado com Raphaela Schetino e pai da Anna Júlia e Alice, é professor do UGB/FERP, onde coordenou o curso de Direito entre os anos de 2010 a 2103. Foi presidente da OAB-VR por três mandatos consecutivos. Natural de Volta Redonda é filho do metalúrgico aposentado Benedito Martins e da dona de casa Célia Martins, com os quais aprendeu valores fundamentais, como honestidade, respeito, empatia e humanidade. Desde jovem, sempre atuou em defesa da justiça, da vida e do desenvolvimento humano. À frente da OAB, através do Projeto OAB Cidadã, conheceu todos os bairros de Volta Redonda e o clamor das comunidades.  Essa etapa da sua vida foi fundamental para se colocar à disposição do PSB como candidato a prefeito de um dos municípios mais importantes do Sul Fluminense, pela coligação Volta Redonda Melhor pra Você, que reúne o PDT e a Rede Sustentabilidade. Pautado num Plano de Governo Participativo, elaborado com a contribuição popular, Alex Martins avalia que Volta Redonda precisa considerar suas potencialidades de forma global, com vistas a melhorar a qualidade de vida das pessoas, inclusive, criando sinergia com os demais municípios do Sul Fluminense para favorecer o desenvolvimento regional. Os principais pontos do Plano de Governo serão divulgados na sequência desse caderno de eleições trazendo as propostas capazes de solucionar o combate ao desemprego, a precarização da saúde, a falta de vagas em creches e de valorização dos servidores municipais, assim como o déficit de espaços de cultura e lazer nas periferias, a violência e os problemas referentes à mobilidade urbana.

Baltazar (55) – PSD

Foto: Divulgação

Baltazar é professor e médico, casado com Marie Baltazar, tem dois filhos e duas netas. De origem humilde, teve que trabalhar muito para realizar o sonho de ser médico. Mudou-se para Volta Redonda em 1972 e foi professor de matemática para sustentar seus estudos em medicina. Quando médico voluntário constatou que a falta de saneamento básico era a causa das moléstias das comunidades carentes onde atendia. Entrou então pra política. Foi vereador (o mais votado de 1988) e depois prefeito (1993 a 1996), quando construiu as principais redes de saneamento básico (250 km). Foram diversas realizações em seu mandato como prefeito: informatização de escolas, construção de postos de saúde, Implantação do Programa Saúde da Família, saneamento das contas públicas aumentando a arrecadação em 400%. Iniciou as obras da Rodovia do Contorno (deixou 70% pronto). Terminou o mandato com mais de 90% de aprovação popular, sendo apontado pelo JB como melhor prefeito do Estado. Nas eleições de 1998, foi o deputado federal mais votado do Sul Fluminense. Foi reeleito em 2002, atuou na CPI do Narcotráfico e do Tráfico de Armas. Diz que foi injustamente apontado como pertencente à máfia das ambulâncias, em processo que culminou na comprovação de sua inocência em todas as instâncias. Em 2012, foi novamente o vereador mais votado. Em 2016 foi candidato a prefeito de Volta Redonda, chegando ao segundo turno das eleições. Nestas eleições, é candidato a prefeito pelo PSD, e propõe a união de todos para um projeto pós-pandemia, realçando os cuidados com as famílias em primeiro plano, através do Programa Educacional da Família, a defesa do emprego, potencializando o recém-criado polo metalomecânico e o aporte de tecnologias inovadoras no sistema de saúde pública.

Cida Diogo (13) – PT

Foto: Divulgação

Cida Diogo é candidata a prefeita pelo Partido dos Trabalhadores. Filiada desde 1980 e atual presidente do diretório municipal, em que foi uma das fundadoras. Casada com Ernesto Braga, tem dois filhos, Iaciara e Aruan, e duas netas gêmeas, Maria e Olga. Médica e pós-graduada em Medicina do Trabalho iniciou sua atuação política ainda na faculdade de Medicina da FOA (Fundação Oswaldo Aranha), através do Movimento Estudantil, como diretora do Diretório Acadêmico e também da Associação de Moradores do bairro Eucaliptal, onde nasceu. Como Médica foi diretora do Sindicato dos Profissionais de Saúde do Sul Fluminense e estruturou os serviços de saúde do trabalhador de diversos sindicatos de trabalhadores como dos Metalúrgicos de Volta Redonda, de Barra do Piraí e do Rio de Janeiro; e da Construção Civil da região. Cida foi secretária de Saúde, vice-prefeita, deputada estadual, por dois mandatos, e deputada federal. Em 2013, ocupou uma cadeira na Alerj como suplente, onde também atuou ao longo daquele ano. Cida Diogo foi diretora da GEAP – Plano de Saúde dos servidores públicos federais e secretária Executiva da Postal Saúde, Plano de Saúde dos funcionários dos Correios. Entre as prioridades do plano de governo de Cida e de Nena Düppré, candidata a vice, se destacam 13 pontos: Fórum do Povo de Volta Redonda; Orçamento Participativo; Moeda Social; Bairro Escola; Empresa Municipal de Transporte; Fundação Municipal de Saúde e Fim das OS’s; Ciclovias, Ciclofaixas e Bicicletários; Passaporte Universitário; Creche para 100% das crianças nesta faixa etária; Cobertura de 100% da  população com a Estratégia Saúde da Família; IPTU verde; Recicla+VR- Coletiva Seletiva e Reciclagem; Democratizar a Arte, a Cultura, o Esporte e o Lazer.

Dayse Penna (90) – Pros

Foto: Divulgação

Dayse Marques Penna é cristã, tem 49 anos e nasceu em Volta Redonda. Formou-se na ETPC e aos 18 anos mudou-se para São Paulo. Casou-se com o Engenheiro Mecânico e empresário, Flávio Dutra Penna, com quem tem duas meninas: Ana Beatriz e Amanda.  Já na década de 90 voluntariou-se em projetos sociais com crianças e adolescentes. Formou-se em Administração de Empresas em 2004 e posteriormente especializou-se em Gestão do Terceiro Setor pelo Senac/SP, onde passou a atuar com desenvolvimento social. Em 2011 Dayse retornou a Volta Redonda. Foi vice-presidente na Creche Irmã Zilá, no Belmonte, presidiu a Associação de Moradores e Amigos do Bairro Conforto, onde fez parte do Comitê de Cultura de Paz em parceria com a Irmã Elizabeth Alves da CCAVR. Também foi presidente do NAC, onde realizou uma grande campanha de Paz no Trânsito e o projeto Show de PicNic, além de ter integrado os conselhos de Segurança e de Política para Álcool e Drogas. Em 2016 Dayse filiou-se ao PV. Logo em 2017 foi convidada a assumir a SMIDH onde, entre outras atividades, desenvolveu o projeto Cartas, com o qual foi possível diagnosticar as maiores dores das mulheres no município e posteriormente acabou se tornando a exposição de 3 mil cartas, Flores de Aço. Agora em 2020, como candidata a prefeita pelo Pros Dayse Penna apresenta um plano de governo baseado em quatro eixos: Cidade Cuidadora, Cidade Sustentável, Cidade Inteligente e Cidade Dinâmica. Dois dos principais aspectos que a candidata pretende mudar de imediato referem-se a educação. Seu objetivo é trazer educação emocional para alunos de 5 a 7 anos, assim como a educação integral usufruindo dos espaços públicos em cada localidade, como praças, Cras e até postos de saúde.

Evandro Glória (23) – Cidadania

Foto: Divulgação

Evandro Glória, 57 anos, é volta-redondense, católico, empresário e contador. Ele é o diretor executivo da Contabilidade e Recursos Humanos Glória, empresa com cinco décadas de história que é referência na Cidade do Aço. Evandro é pai de um casal e vive atualmente um relacionamento estável. O candidato é atual Diretor de Desenvolvimento Econômico e Tributário do CDL e Conselheiro no CRCRJ (Conselho Regional de Contabilidade do Rio de Janeiro). Ele também já presidiu o Fórum das Entidades Empresariais de Volta Redonda, foi Coordenador Regional do Projeto Lider, do Sebrae, além de participar de diversas atividades e projetos sociais e empresariais na região.  Entusiasta dos recursos naturais, da sustentabilidade e amante do ciclismo – esporte que pratica – o candidato a prefeito de Volta Redonda é o idealizador do Circuito Rio Sul de Cicloturismo, que promove o fomento do esporte, turismo e vida saudável na região. Como prefeito de Volta Redonda, Evandro Glória pretende priorizar a desburocratização da máquina pública e a reforma administrativa, projetos que vão melhorar os serviços prestados aos moradores da cidade, além de criar um ambiente ideal para o empreendedorismo e a geração de emprego e renda. Evandro também pretende negociar e resolver de uma vez por todas as dívidas da PMVR, estimada hoje em R$ 1,7 bilhão, deixando as contas em dia para a próxima administração.

Granato (77) – Solidariedade

Granato tem 56 anos e é candidato a prefeito pela coligação “Juntos Podemos Mais”, formada pelo Solidariedade e Podemos, que indicou o vice-prefeito Geraldinho. É católico, devoto do Sagrado Coração; empresário com formação em Ciências contábeis e Direito; casado com Roseneri Conceição Fernandes, que é evangélica; pai da advogada Grazielle – mãe de seus dois netos Maria Fernanda e Lorenzo –, e ainda do estudante de veterinária Gabriel. Filho de professora Cleuza Granato com o administrador e funcionário público municipal, Geraldo Costa, tem dois irmãos. Começou sua vida pública em 1992, quando foi suplente de vereador. Elegeu-se em 1996 pela primeira vez, foi aprovado pelo povo que o reelegeu por mais outros três mandatos consecutivos. Ao longo dos mandatos foi presidente da câmara por três vezes. Como presidente, promoveu mudanças significativas no Legislativo como concurso público, em 2016, após 21 anos sem concurso; reforma, ampliação e informatização, priorizando a acessibilidade com a instalação de um elevador e rampas, recebendo o Prêmio “Selo Acessibilidade para Deficientes Físicos”; lançou o Portal da Transparência. Durante quase 20 anos como vereador, Granato pode acompanhar a administração de diferentes prefeitos e sabe onde cada um errou e onde acertou. Conhece bem os problemas da cidade, não só por ser vereador, mas também pelo fato de ter sido, de janeiro de 2013 a janeiro de 2014, Secretário Municipal de Obras do ex-prefeito Neto. Em cinco anos de mandato, buscou propor projetos que pudessem contribuir para melhorar a vida das pessoas. Neste período, foram mais de mil projetos apresentados, sendo que 93 tornaram-se leis no município, como Prótese Dentária Gratuita, A Fábrica de Óculos, O Restaurante Popular de Volta Redonda e outros.

Hermiton (10) – Republicanos

Foto: Divulgação

Hermiton, 59 anos, natural de Volta Redonda, casado, cristão, partido Republicanos (10), coligação com PRTB, vice Jair Nogueira (médico). Engenheiro Metalúrgico, Analista de Sistemas, MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC (com diploma assinado por Paulo Guedes, Presidente do IBMEC à época). Fundador do Movimento Vem Pra Direita. Foi candidato a Deputado Estadual em 2018 pelo PSL, partido também do Presidente Jair Bolsonaro naquela Época, pelo qual teve 12.723 mil votos, ficando na suplência. Perfil Conservador, de Direita, acredita na eficiência administrativa de um Estado Enxuto, em que se concentre as medidas voltadas para as áreas de Educação, Saúde, Segurança e serviços públicos essenciais. Na economia preza pela livre concorrência, pela liberdade econômica, com menor intervenção Estatal, para que os serviços e produtos cheguem ao consumidor final com a melhor qualidade e menor custo. Nos costumes, sua linha Conservadora o coloca em posição contrária ao aborto, contrária a liberação das drogas, a favor da Família e da liberdade religiosa. Em 2015, fundou o movimento Vem Pra Direita (inicialmente conhecido como Vem Pra Rua VR), que atuou em apoio a pautas como: impeachment de Dilma, Prisão do Lula, Apoio à Lava Jato e outras pauta conservadoras. Fundou o Observatório Social de Volta Redonda, organização sem fins lucrativos, que tem como principal objetivo monitorar os gastos do Executivo e Legislativo municipal. Sua relação com presidente Bolsonaro teve início em agosto de 2017, quando o convidou para palestra no Cine 9 de Abril, em Volta Redonda, momento em que surgiu uma relação próxima de amizade e de respeito mútuo.

Juliana Carvalho (50) – Psol

Foto: Divulgação

Juliana Carvalho é fruto de Volta Redonda. Sua família está intimamente ligada à história desse município. Neta de pedreiros que levantaram os bairros Belmonte e Retiro. Filha de um metalúrgico e de uma professora primária. Aos 7 anos, depois da separação de seus pais, passou a viver em um lar completamente feminino. Juliana cursou a educação básica nas redes municipal e estadual e entrou no mercado de trabalho aos 17 anos, atuando no comércio. Com auxílio de políticas públicas, cursou licenciatura em História. Este curso foi importante para compreender a si e ao mundo, foi uma oportunidade de se reconectar com sua ancestralidade, presente também na religião que professa, a umbanda, e no esporte que pratica, a capoeira. Em 2006, Juliana concluiu sua graduação. Um ano após, casou-se e sofreu com a perda de sua filha recém-nascida. É professora de História concursada desde 2008. É mãe de dois filhos e tem como companheiro Samuel Pires, também professor. Filiada ao Psol desde 2007. Aceitou o desafio de concorrer à prefeitura, desejando que Volta Redonda seja mais igual, justa e plural, que seja uma cidade com mais direitos, pois a população merece mais. Ela quer investir em creche em tempo integral; transformar escolas em espaços de pesquisa e extensão, com o incentivo de bolsas; implementar e valorizar os planos de carreira dos servidores públicos, entre eles os da educação. Sabe também que é fundamental proteger a vida das mulheres, concedendo-lhes formação, chance de empregabilidade e possibilidade de ter uma renda que as livre das violências física, psicológica e simbólica. Por fim, entende que é fundamental acreditar e investir na juventude, com políticas públicas que garantam os direitos humanos básicos universais a cada cidadão da cidade.

Mônica Teixeira (16) – PSTU

Foto: Divulgação

Mônica Teixeira Corrêa é natural de Volta Redonda, nascida em 10/08/1963, solteira, mãe de um filho João Vitor machado. É professora pós-graduada em História das redes estadual e municipal (aposentada) em Volta Redonda. Começou sua militância política desde cedo lutando pelo fim do regime militar e no ano seguinte a favor das Diretas Já! para a presidência da república. Logo a seguir, passou a fazer parte da corrente política Convergência Socialista onde participou de vários movimentos lutando pelo “Fora Collor!” e contra a privatização da CSN. Em 1993 passa a integrar o recém-criado partido Socialista dos Trabalhadores Unificado o PSTU, organização socialista que reivindica o marxismo revolucionário ligado a Lit-QI (Liga Internacional dos Trabalhadores – Quarta Internacional) que luta contra o capitalismo em vários países do mundo. Como professora do município de Volta Redonda, Mônica passa a atuar em todas as importantes lutas como base da categoria pelo Sindicato dos Profissionais da Educação, o SEPE. Em 2016 foi candidata a vice-prefeita na única chapa totalmente feminina do estado do Rio de Janeiro com as também professoras Isabel Fraga e Juliete Guarino. É membro do coletivo em educação, o Reviravolta. Constrói a CSP Conlutas (Central Sindical e Popular), O MNML (Movimento Nacional de Mulheres em Luta) e apoia a Oposição Metalúrgica do Sul Fluminense. Sua candidatura está à serviço das lutas da classe trabalhadora, com total independência dos governos, grandes empresas e empresários. Sua aliança política se dará através dos Conselhos Populares que decidirão sobre os 100% do orçamento da cidade. Todas as propostas estão pautadas na revolução política para que os de baixo possam, realmente, governar a cidade.

Neto (25) – DEM

Foto: Divulgação

Antônio Francisco Neto, nascido e criado em Volta Redonda, solteiro, católico, filiado ao DEM, tendo como vice na chapa o engenheiro Sebastião Faria. Tem a máxima de “Volta Redonda é meu partido” para definir sua relação com os demais integrantes da política com quem vai se relacionar, caso eleito pelo voto popular. Foi deputado estadual por três vezes, prefeito de Volta Redonda por quatro oportunidades, presidente da Cehab (Companhia Estadual de Habitação), do Detran-RJ, Secretário de Estado de Receita. Se coloca como candidato à disposição da população de Volta Redonda pra tentar resgatar as conquistas obtidas em sua gestão, que alçaram a cidade a ter uma das melhores qualidades de vida do país. Além disso, pretende alavancar novos projetos que permitam a Volta Redonda recuperar “o tempo perdido nos últimos quatro anos”. Neto disse que o principal objetivo do plano de governo é permitir que se faça mais com menos, uma vez que a cidade enfrenta grave crise financeira. “Os salários atrasados ou parcelados do funcionalismo é o maior indicador do tamanho e da gravidade desta crise”, disse. Para enxugar os gastos, Neto já anunciou que os contratos com Organizações Sociais serão verdadeiramente extintos, o que fará sobrar dinheiro para investir na saúde pública. Também afirmou que a equipe que assumir terá de colocar as contas em ordem para que os salários dos servidores voltem a ser pagos com dia certo e de uma só vez. A geração de empregos será outro tema central no plano de governo, que segundo Neto centrará parte das ações no funcionamento efetivo dos condomínios industriais que ele deixou pronto no último mandato e até hoje seguem sem ocupação plena.

Professor Benevenuto (70) – Avante

Foto: Divulgação

Benevenuto dos Santos, casado há dez anos, candidato a prefeito de Volta Redonda, pelo Avante, formado em Direito, advogado escrito na OAB, fez mestrado em Direito e Economia, voltado para administração pública, tem especialização em direitos fundamentais. Começou como professor voluntário na Universidade Federal Fluminense (UFF), em Niterói, no ano de 1999, e já atua na área há 21 anos. Atualmente trabalha como docente no UniFOA, dando aula de Direito administrativo eleitoral e internacional. É orientador nacional, na parte de Trabalho de Conclusão de Curso, pela Universidade Estácio. Atuou como assessor técnico do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e Procurador Geral de Municípios. Tem dedicado uma parte de sua vida para trabalhos voluntários, sobre o meio ambiente, dentro da administração pública. É conselheiro do GACEMSS e do Clube dos Funcionários. Quer fazer uma administração voltada à prevenção de dinheiro público, enxugar o número de secretarias e assessorias, e trazer as universidades de Volta Redonda para perto do governo, para uma parceria em busca de inovação e pesquisa tecnológica a fim de uma geração de novos empregos. “Tive uma vida praticamente toda voltada ao magistério, acredito que a Prefeitura de Volta Redonda tem que parar de gastar dinheiros obras e contratos desnecessários, para usar o valor com o que realmente precisa, tirando quem está na extrema miséria no município”, diz.

Professor Habibe (65) – PCdoB

Foto: Divulgação

Alexandre Fernandes Habibe, 60, Engenheiro, professor, casado, cristão, empresário. Seu desejo é construir um projeto com toda cidade de Volta Redonda para dizer que há, sim, ESPERANÇA para todos! “Nosso país e o mundo passam por momentos difíceis. A crise sanitária de escala mundial espalha fome e desemprego. Não há saída individual para a crise sob a qual vivemos, só haverá futuro se pensarmos o comum, a comunidade, a comunhão, o comunitário. Se percebermos que o único futuro eticamente aceitável é aquele no qual todos e todas têm um lugar. Acreditamos na empatia e na solidariedade e lutamos por um futuro melhor”, diz Professor Habibe. Ele afirmou que Volta Redonda é uma cidade de pessoas fortes, que construíram esse município com o sangue de tantas gerações que lutaram por dias melhores e com o suor de milhares de trabalhadoras e trabalhadores que erguem a cidade diariamente. “Nossa criatividade e genialidade são coletivas e vem do ‘pensar juntos’ e do que é interesse comum. Só nos interessa um futuro, no qual ninguém fique para trás. Queremos uma cidade mais plural, UMA CIDADE PARA TODOS!”, afirmou o candidato. Habibe é engenheiro mecânico, professor da UERJ e do UniFOA, empresário do setor metalmecânico. Foi reitor do UniFOA, é Mestre em Educação, Mestre em Engenharia de Materiais e Doutor em Engenharia Metalúrgica. Trabalhou na Cobrapi, na CSN, foi Diretor do Sindicato dos Engenheiros de Volta Redonda e da Associação dos Engenheiros de Volta Redonda.

SAMUCA SILVA (20) – PSC

Foto: Divulgação

Servidor público de carreira, Elderson Ferreira da Silva, o Samuca Silva, é professor universitário, contador, autor do livro “Controladoria na Administração Pública” e, aos 39 anos, é o prefeito mais jovem da história de Volta Redonda.  É pós-graduado em Ciências Contábeis, em Auditoria e Controladoria, em Finanças Empresariais. Foi eleito em 2016 com a proposta de mudança, de gestão técnica e eficiente. Durante a sua administração, conquistou prêmios importantes e reconhecimento nacional. Entre seus projetos realizados estão a criação do Hospital do Idoso, implantação do Tarifa Comercial Zero, Alvará Fácil, Rua de Compras, Polo Metalmecânico, Escritura Fácil, Clínica de Diálise, Centro Municipal de Saúde, Prefeitura Mais Presente, realização de concursos públicos com mais de 1,6 mil vagas. Diz que um dos seus grandes desafios é realizar a primeira licitação do transporte público. Cita a reabertura do Restaurante Popular como outro importante feito, assim como a inauguração da Arena Esportiva. Samuca Silva, além de realizar a primeira reforma do Zoológico Municipal, também investiu em um Jardim Botânico, que será instalado na Ilha São João, e no Parque Municipal, assim como o Plano de Arborização, projeto da prefeitura que já proporcionou o plantio de mais de 20 mil mudas em diversos pontos. Cita que em sua gestão Volta Redonda se consolidou como a cidade que mais gerou empregos no estado em 2019, segundo os dados do Caged. Segundo Samuca, a cidade também avançou na educação. Foram ampliados os números de vagas em creches de tempo integral, que saltou de 16 (em 2016) para 52 turmas (em 2020), atendendo mais de 1.400 crianças. Isso além da reforma de mais de 60 escolas municipais e da implantação de internet banda larga em todas as unidades.

error: Conteúdo protegido !