Compras conscientes!

0

Coleções novas chegando às lojas e já estamos de olho nas novidades e pensando/desejando alguma coisa, certo!No momento que surge o desejo pela “peça”, na sua cabeça a compra já foi realizada. Nosso cérebro entende como se aquilo já fosse nosso!
Compramos muito mais com o EMOCIONAL, isso é fato!
E agora vou dar dicas pra você parar, pensar e comprar com seu RACIONAL!
Isso vai fazer com que você, cada vez que fizer essas perguntas, faça suas compras de maneira mais criteriosa, afinal devemos ser seletivos com o que entra na nossa vida, certo?!!!

E a primeira pergunta é:

Foto: Divulgação

 

PRECISO DESSA PEÇA?
Ela vai fazer diferença na sua vida e traduzir sua Imagem para o mundo?!
Você já vê ela em várias composições com outras peças que você já tem e realmente mostra seu estilo e sua persona?!

Ela é diferente de tudo que você já tem e realmente traduz muito seu estilo e personalidade. Era a peça que estava faltando para montar vários looks que você tem em mente e que vai mostrar sua evolução da sua imagem.

Se você respondeu sim pra esta pergunta, analise a próxima.

Foto: Divulgação

ESTA PEÇA COMBINA COM O QUE EU JÁ TENHO?

Na realidade, essa deveria ser a primeira pergunta a fazer, de verdade!

Quando você olha pra uma peça ou acessório lindo, incrível, já logo vem na cabeça as várias opções de uso?! Pois deveria vir! Afinal, se você não vê as muitas possibilidades de combinações com o que você já tem, será que ela realmente tem a ver com você e seu estilo?!

Vou dar uma dica bem matemática!
Olhando pra algo que você quer comprar, e quer que, de verdade, faça parte da sua vida, você deve visualizar na sua cabeça, no mínimo (MÍNIMO!) 5 composições (ou ocasiões, lugares) diferentes!!! Pronto! Visualizou?! Ótimo!

Por exemplo, se olhou uma peça, parte de cima ou de baixo, já é interessante pensar: com que sapatos meus consigo compor? Com que outras peças? Vou onde, que lugares? Deu 5? Ótimo. Uma peça única, tipo vestido ou macacão, consegue se ver em, pelo menos, 3 a 5 lugares ou eventos diferentes? Acessórios que mudarão o look? Tipo com sandália rasteira, salto anabela, sandália tratorada e pra finalizar, um tênis?! Ótimo.

Se você conseguir visualizar tudo isso, tá quase!

Foto: Divulgação

PROVEI E ME SENTI INCRIVELMENTE MARAVILHOSX?

Vamos à nova realidade: não estamos podendo provar na maioria das lojas certo?
Olha que oportunidade incrível! Você leva a peça pra sua casa, veste com calma, no conforto, sem provador apertado, olha no seu espelho (se ainda não tem, invista em um espelho grande e em um lugar com iluminação boa! Vai ser seu “grande amigo” da verdade!), se analisa de frente, de costas, de lado, de tudo!

Já aproveita e vê se o acabamento é bacana, tecido bom que não marca. E o mais interessante, tem a oportunidade de combinar com outras peças, sapatos e acessórios seus! Lembra da reflexão 2, pois é!!!

Quando se olhar no espelho, não pode ter dúvidas! É se olhar e dizer, estou maravilhosa!!!

E vamos para a quarta pergunta:

Foto: Divulgação

ESSE VALOR É REAL?

Agora o assunto ficou sério! Não que antes não fosse, mas agora estou falando de questões que envolvem toda a cadeia industrial, de mão de obra séria, de empresas que trabalham de forma correta!
Quando falo de valor real, que não é a nossa moeda, estou falando que quanto vale um produto que foi trabalhado dentro de todas as questões de algo bem feito, dentro de um padrão mínimo de qualidade em um país que tem uma das maiores cargas tributárias do mundo!
Vou dar um exemplo matemático (novamente) para você ter o mínimo de noção: nossa indústria de moda começa lá na agricultura, se feito de matéria prima natural, como o algodão, o linho ou a viscose (que amamos aqui no nosso país).
Uma calça jeans é feita de algodão. Portanto, colhe-se o algodão, tem imposto, fia-se o algodão, tem mais um imposto.  Tece o tecido jeans, adivinha? Mais imposto. Tinge o jeans e lá vem mais imposto! Corta a peça, imposto. Costura a peça, mais imposto. Faz um efeito de lavação, imposto! Distribui para o lojista, imposto! E pra finalizar, o lojista vende e, adivinha de novo? Mais imposto!!!
Sacou porque não faz sentido “brusinha” (essas sim são brusinha mesmo) à 19,90?
Quando falamos de uma indústria séria que emprega e mantém nossa economia girando, estamos falando de um custo mínimo de um produto.
Esse tipo de produto além de ser sempre sem qualidade nenhuma e descartáveis, geralmente tem mão de obra escrava que é uma infeliz realidade no nosso país!
Então se você não quer ser cúmplice (Sim, nosso consumo nos torna responsáveis por continuar a cultura do produto sem qualidade de mão de obra duvidosa!) de algo que parece não muito correto, pense bem antes de comprar produtos muito baratinhos em lojas esquisitas que vendem marcas que seriam “caras” a um preço bem inferior!

Quinta pergunta:

Foto: Divulgação

A MARCA É DA NOSSA INDÚSTRIA NACIONAL?

Agora o assunto ficou ainda mais sério!
Na reflexão anterior eu falei sobre valor real dentro de um padrão mínimo de qualidade em um país que tem uma das maiores cargas tributárias do mundo, certo?!
Mas porque comprar um produto dando preferência para nossa indústria vai ajudar tanto?
Vou explicar dando um exemplo prático.
Quando estou com alguma cliente de consultoria e precisamos comprar alguma coisa pra complementar sua imagem, geralmente elas me falam “vamos a uma loja que eu gosto em xxx (cidade maior com comércio bem top) porque tem uma loja lá que eu adoro”, isso é real tá, acontece mesmo!
Aí eu falo, mas você já conhece a loja tal daqui? Ela tem bem esse perfil de produto (lógico que falo dentro de uma realidade de imagem e tipo de produto que condiz com o que estamos querendo). Elas geralmente não conhecem, eu levo até a loja e elas amam!
A loja, aumentando o número de clientes que deixam de ir láááá na outra cidade levar seu dinheiro, aumenta suas vendas, cresce e precisa contratar mais funcionários.
A nova vendedora contratada e com salário, pode voltar a fazer as unhas toda semana no salão que ela gosta. A dona do salão, com o aumento de clientes fixas e maior renda, pode investir na sonhada Consultoria de Imagem comigo!
Com o crescimento da loja e de outros serviços na cidade, esta também vai crescer e ter um comércio TOP!
E assim funciona a indústria! Se você compra produto nacional, o dinheiro fica dentro do nosso país que pode investir em crescimento, expansão, novas tecnologias, contratação de mais funcionários, gerando mais renda interna e assim a economia gira!
Viu só que perfeito!
Se você valoriza o que é daqui, o dinheiro fica aqui!
É só olhar aquela etiqueta interna na peça que deve estar escrito FEITO NO BRASIL!!!

Finalizando nossa semana de reflexões para um consumo mais consciente, espero que você tenha entendido como suas escolhas podem sim ter conseqüências positivas e negativas, tanto na sua vida como em toda a cadeia produtiva e econômica têxtil de moda e que afeta muitas pessoas!

Foto: Divulgação

Vamos pensar então os pontos pra você fixar bem!

  1. PRECISO DESSA PEÇA?

Ela vai fazer diferença na sua vida e traduzir sua Imagem para o mundo e realmente mostra seu estilo e sua persona?!

  1. “CONVERSA” COM O QUE EU JÁ TENHO?

Você já vê ela em várias composições com outras peças que você já tem!?!

  1. PROVEI E ME SENTI MARAVILHOS?!
    Quando se olhar no espelho, não pode ter dúvidas! É dizer, estou incrível!!!
  2. O VALOR É “REAL”?

Quanto vale um produto em uma indústria que emprega de forma correta, dentro de um padrão mínimo de qualidade em um país que tem uma das maiores cargas tributárias do mundo?!

  1. A MARCA É DA NOSSA INDÚSTRIA NACIONAL?
    Se você valoriza e compra o que é daqui, o dinheiro fica aqui! É só olhar aquela etiqueta interna na peça que deve estar escrito FEITO NO BRASIL!

Foto: Divulgação

  1. ESSA COMPRA FOI EXCELENTE EM CUSTO X BENEFÍCIO!

Toda compra é um investimento, pense sempre assim!
Um bom investimento deve ter um bom retorno, no caso de um produto de moda, é o seu uso e a versatilidade, e o principal, que mostre todo seu autoconhecimento e evolução na sua imagem!

Aproveite esse momento para refletir sobre seu consumo e torná-lo mais consciente!

Até a próxima estilosas e estilosos!

A COLUNISTA
Chris Bueno é graduada em Design de Moda e pós-graduada em Moda, Comunicação & Marketing.
Com vivência de mais de 20 anos na indústria têxtil e de moda de Santa Catarina, iniciou sua carreira como costureira e modelista, trabalhando por quase 10 anos em produção têxtil.
Já graduada, conquistou a posição de estilista e posteriormente coordenadora de estilo de uma grande empresa do ramo.
Trabalhou em empresas como Sulfabril, Hering e Brandilli, desenvolvendo coleções para marcas de Private Label, como: Zara, Le Lis Blanc, M. Officer, Cantão e Siberian.  Além de grandes magazines como Renner, C&A e Riachuelo.
Atualizações na área são constantes participando de cursos, pesquisas, workshops, eventos e viagens. Cursos na área de imagem pessoal: consultoria de imagem, personal stylist, visagismo e semiótica, dresscode e comportamento empresarial, consultoria de imagem avançado, análise cromática e coloração pessoal básico e avançado.
Cursos na área de moda: produção de moda, pesquisa de tendências e coolhunting.
Atualmente é instrutora dos cursos da área de moda no Senac RJ, presta consultoria e faz palestras sobre os tema Imagem pessoal e empresarial.

error: Conteúdo protegido !