Compra parcelada é opção para a maioria dos consumidores

0

SUL FLUMINENSE

Realizar compras e solicitar o pagamento em parcelas é tão comum no país que ao menos 83 milhões de consumidores declararam ter ao menos uma dívida parcelada. Dividir o valor de uma compra em várias prestações é um hábito do brasileiro, mas é preciso ter cuidado para que o uso do crédito não se transforme em uma armadilha para o bolso.

Um levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em todas as capitais revela que mais da metade dos brasileiros adultos (53%) possuía alguma compra parcelada no último mês de março. Isso significa que, aproximadamente, 82,7 milhões de brasileiros estão com ao menos parte do orçamento comprometido para pagar compras feitas no cartão de crédito, cartão de loja, crediário ou cheque pré-datado.

Na região, muitos consumidores se identificaram com os dados da pesquisa da CNDL/ SPC Brasil. A dona de casa Patrícia Chagas, 28, de Resende, lembrou que no Dia das Mães as compras foram todas parceladas, e pior, acumulando com outras adquiridas no Natal. “Se não for assim, não compra, porque dinheiro na mão tá difícil. O jeito é utilizar o cartão, o crediário da loja, até ter saldo suficiente. Em dezembro as compras ficaram em nove vezes, mas veio o Dia da Mães e comprei um fogão para a minha mãe, abrindo novo parcelamento em seis vezes. O mês fica apertado, mas é o jeito do pobre ter alguma coisa”, brinca.

De acordo com a pesquisa, os produtos que os consumidores mais adquirem a prazo são os eletrônicos (65%), roupas, calçados e acessórios (44%), remédios (32%), alimentação fora de casa e delivery (26%) e compras de supermercado (26%). O cartão de crédito desponta como a modalidade de pagamento a prazo favorita dos consumidores, citado por 69% dos entrevistados. O crediário e o cartão de loja ficaram empatados na segunda colocação com 9% cada. Já o cheque pré-datado foi citado por apenas 1% das pessoas ouvidas.

Para 13% dos entrevistados da pesquisa não é necessário fazer qualquer tipo de análise ou avaliação antes de contratar uma modalidade de crédito. “Eu analiso se o que vou comprar poderei pagar, somando todas as despesas mensais. É uma situação engraçada, porque mesmo sabendo que ficarei no vermelho, dependendo do que eu desejo ter, vou lá e compro se tiver oportunidade”, comenta a secretária Marcela de Paula, 31, de Rio Claro.

PLANEJAMENTO É FUNDAMENTAL

Na avaliação do educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli, os instrumentos de crédito podem ser um aliado do consumidor, desde que utilizados de forma planejada. “O crédito permite às pessoas ampliarem seu poder de compra adquirindo produtos que levariam anos para serem comprados à vista. O problema é que se ele for utilizado sem responsabilidade e planejamento, essa dívida pode ser nociva para a vida financeira do consumidor”, orienta Vignoli.

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !