Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) completa 80 anos de fundação

0

VOLTA REDONDA

Fundada em nove de abril de 1941, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) completa amanhã, 9, 80 anos de existência. A empresa foi a primeira grande Companhia Siderúrgica de Aço no Brasil e a grande responsável pela construção e emancipação do município quando ainda pertencia a Barra Mansa.

E para marcar a data e os 60 anos da Fundação CSN comemorados no dia 20 deste mês, acontece a Semana CSN, um evento online realizado entre hoje, 9 e 13 de abril, com uma programação de lives e apresentações com temas relacionados à educação e cultura.

A Fundação CSN, responsável pelas ações sociais do grupo CSN.

A atração musical do evento será Os Tambores de Aço Fundação CSN. A apresentação foi gravada previamente seguindo todos os protocolos de segurança contra a Covid-19. Compostos por 18 músicos bolsistas do Garoto Cidadão da Fundação CSN, o repertório da apresentação será eclético, composto pelo estilo musical caribenho, samba de raiz e sucessos de Michael Jackson.

Outra programação será a exposição Memória História Futuro, com projeções de fotos de J.R. Duran feitas no interior da Usina Presidente Vargas, em Volta Redonda, e fotos históricas do Centro de Documentação – CEDOC da CSN. As imagens narram a linha do tempo da construção da fábrica. A exposição também fará parte da programação virtual do Centro Cultural Fundação CSN.

A mesa Educação Pensada para o Futuro conta com a participação de, Bruno Marcato, gestor da ETPC, escola da Fundação CSN em Volta Redonda, alunos e professores para bate-papo sobre a influência da educação em suas jornadas de vida e como se desenvolveram como seres humanos através do processo educativo. Outra live com lançamento do livro em comemoração aos 20 anos do projeto Garoto Cidadão acontece no mesmo dia com a participação de ex educandos e ex educandas.

As atividades serão disponibilizadas no canal do Youtube e site do Centro Cultural Fundação CSN.

 Confira a programação:

#FundaçãoCSNFaz60: Tambores de Aço Fundação CSN

Data: 09/04 às 19 horas

Disponível: Canal do Youtube Centro Cultural Fundação CSN

Exposição MEMÓRIA HISTÓRIA FUTURO

Data: 13/04 às 14 horas

Disponível: no site do Centro Cultural Fundação CSN

#FundaçãoCSNFaz60: Lançamento do livro “Garoto Cidadão 20 anos de muitas histórias”

Data: 13/04 às 19 horas

Disponível: Canal do Youtube Centro Cultural Fundação CSN

#FundaçãoCSNFaz60: Educação pensada para o futuro

Data: 13/04  às 18 horas

Transmissão ao vivo: Canal do Youtube Centro Cultural Fundação CSN

HISTÓRIA DA CSN

A empresa tem suas minas de minério de ferro e outros minerais na região de Congonhas e Arcos, ambas cidades do estado de Minas Gerais e também de carvão na região de Siderópolis no estado de Santa Catarina. Sua principal usina hoje produz cerca de seis milhões de toneladas de aço bruto e mais de cinco milhões de toneladas de laminados por ano, sendo considerada uma das mais produtivas do mundo.

A CSN foi criada durante o Estado Novo por decreto do presidente Getúlio Vargas, ele previa a construção de uma usina siderúrgica que pudesse fornecer aço para os aliados durante a Segunda Guerra Mundial e, na paz, ajudasse no desenvolvimento do Brasil.

A CSN começou efetivamente a operar no ano de 1946, durante o governo do presidente Eurico Gaspar Dutra. Em 1965 é inaugurado o Edifício do Escritório Central da CSN, uma imponente edificação de 37 mil metros quadrados divididos em 16 andares.

Na década de 1980, com o aumento do movimento sindical, começam a ocorrer diversas greves nas instalações da empresa em Volta Redonda, com a primeira ocorrendo em 1984. Em novembro de 1988, uma nova greve dos seus trabalhadores, que pediam reposição e aumento salarial, redução de jornada de trabalho e reintegração de operários demitidos, teve como saldo a morte de três operários em conflito com o Exército Brasileiro, no qual ainda restaram dezenas de pessoas feridas e considerável dano ao patrimônio da empresa. À essa época, a CSN e suas empresas coligadas possuíam cerca de 25 mil trabalhadores diretos, número que decresce até o momento de sua privatização, quando já tinha cerca de 17 mil empregados.

Foi incluída no Plano Nacional de Desestatização do governo Fernando Collor de Mello em 1992, e privatizada, já no ano seguinte, quando do governo de Itamar Franco.

Atualmente

Atualmente, a CSN possui diversas empresas, como a Prada com seis unidades no Brasil, (em Mogi das Cruzes e Volta Redonda), CSN Cimentos, CSN aços longos, CSN Galva Sud Porto Real- RJ, CSN Ersa Estanho Rondônia, CSN Paraná (em Araucária-PR), CSN Mineração com jazidas em Arcos e Casa de Pedra no Estado de Minas Gerais e uma jazida de Estanho no estado de Rondônia, os terminais de contêineres (Sepetiba Tecon) e de carvão (Tecar) no Porto de Itaguaí (em Itaguaí), a Metallic (CE), além de participações acionárias nas empresas MRS Logística e Transnordestina Logística, de transporte ferroviário, usinas hidrelétricas de Igarapava entre os estados de São Paulo e Minas Gerais e a de Itá, entre os estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul e usinas nos Estados Unidos (CSN LLCTerre HauteIndiana); em Portugal (LusosiderAldeia de Paio PiresSetúbal), e na Alemanha (Stahlwerk Thüringen GmbH – SWT), adquiridas de outros grupos nacionais. A CSN também controla a empresa mineradora de ferro Namisa, criada em 2007.

Ações da CSN e Usiminas sobem mais de 3%;

A visão ainda positiva para o segmento de commodities e os dados mostraram redução de estoques na China guia mais uma sessão positiva para as ações de siderúrgicas, com destaque para CSN, com ganhos acima de 3%. Ainda no radar, de acordo com distribuidores da Usiminas, a companhia realizará ajustes para a bobina laminada a quente em cerca de 10%, sendo o terceiro aumento do ano, a partir do dia 12 de abril.