Coligação de Haddad pede que PGE investigue empresa de Barra Mansa responsável pela campanha de Bolsonaro

1

BARRA MANSA/BRASÍLIA

A empresa de estratégia digital AM4, contratada pela campanha do candidato a presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), com sede em Barra Mansa, mas com escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas, Belo Horizonte, Brasília e São Luis, pode ser investigada pela Procuradoria Geral Eleitoral (PGE). Isso é o que pediu a coligação O Povo Feliz de Novo (PT, PCdoB e Pros) que acredita em suposto envolvimento na produção e compartilhamento de fake news contra a campanha de Fernando Haddad (PT). Em nota, a AM4 repudia veementemente as acusações da Coligação O Povo Feliz de Novo, mencionando o crime de calúnia.

Segundo os advogados da coligação, o número de seguidores no Facebook de Bolsonaro, 6,9 milhões e 3,8 milhões no Instagram é bem diferente da média dos outros candidatos. “Dessa forma, tudo leva a crer que a empresa de estratégia digital, bem como a campanha da Coligação ‘Brasil Acima de Tudo, Deus Acima de Todos’, pode ter envolvimento nessa rede de produção e circulação de informações falsas”, argumentam os advogados.

Em matéria veiculada no jornal O Globo, citada pelos advogados no pedido, foi mencionado que o time digital de Bolsonaro distribui diariamente conteúdo para 1,5 mil grupos de WhatsApp. Seriam 15 pessoas da empresa AM4 distribuindo as mensagens para grupos que são compartilhadas por apoiadores.  Os advogados citam ainda no pedido a potencialidade do ato lesivo, devido ao que eles chamam de “dinheiro público não declarado na campanha”. Pedem uma providência porque o uso das ferramentas (redes sociais) para disseminar notícias falsas “configuram práticas capazes de causar influência no resultado das eleições”.

A empresa AM4 manifesta repúdio e indignação a respeito da notícia do pedido de investigação a PGE. “O pedido não aponta – por inexistir – qualquer fato concreto, baseando-se apenas no expressivo número de seguidores do candidato à Presidência Jair Bolsonaro no Instagram e Facebook, como se supostamente tivessem origem em informações falsas. O sucesso de Jair Bolsonaro nas redes não é de agora – é resultado de um trabalho de muitos anos, tanto dele, quanto de seus filhos”, afirma a empresa.

Segundo a nota, o desempenho neste ano do candidato nas redes sociais é diretamente proporcional à sua performance eleitoral e à recepção do eleitorado brasileiro à sua candidatura “nas redes, nas ruas e nas urnas”. A empresa afirma que trabalha há 19 anos no setor digital com total respeito e ética, transparência e legalidade. “A investigação requerida pela Coligação O Povo Feliz de Novo evidencia tão somente o despreparo da candidatura adversária em compreender o cenário atual das eleições e do próprio eleitorado, mais dinâmico e digital. O sucesso da campanha digital de um candidato com apenas oito segundos de televisão é fruto de trabalho árduo e que não foi construído às vésperas”, mencionou a empresa, completando que tomará as medidas em sua defesa, especialmente pelo ato calunioso feito pela coligação.

REPORTAGEM

Na reportagem de O Globo, que fala sobre o trabalho da empresa de estratégia digital, é mencionado que foi organizada uma rede virtual de grupos onde a empresa AM4 abastece diariamente com conteúdos de campanha de Bolsonaro e materiais que ajudam a desconstruir os adversários.

Até o momento, segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a empresa já recebeu R$ 115 mil da campanha de Bolsonaro.

1 comentário

  1. AM4 sempre querendo uma beirada!!! No governo PT ganhou rios de dinheiro, em 12 de maio de 2014 a ex mulher do sócio da AM4 foi nomeada para a TurisRio. Como pode né?!?!? Agora propagam notícias voluntariamente. Estamos aguardando os próximos capítulos……