Cohab-VR incentiva renegociação de dívida de mutuários

0

VOLTA REDONDA

A Companhia Habitacional de Volta Redonda (Cohab-VR) realiza visitas aos bairros da cidade onde exista unidades habitacionais que comercializou. O objetivo é facilitar aos mutuários em situação de inadimplência a oportunidade de renegociação de dívidas em até 300 vezes, com 70% de desconto nos juros e multas. Após levantado o valor atualizado do débito, com descontos, não haverá cobrança de juros nas parcelas fixadas. O prazo de renegociação termina no próximo dia 30.

O diretor-presidente, o vice-prefeito Maycon Cesar Abrantes, solicita que os mutuários não percam os prazos de renegociação e os benefícios ofertados, ressaltando o desconto de 70% nos juros e multas das dívidas, e o parcelamento sem a cobrança de juros. “Estaremos em todos os bairros, até dia 30 de junho, em todos os bairros, duas vezes por semana, onde a Cohab vendeu casas e apartamentos com o Cohab Presente. Vamos orientar os cerca de 12 mil mutuários na cidade e dar oportunidade para o refinanciamento das dívidas em até 300 vezes, com parcelas em média na faixa de R$ 150”, disse.

A ação favorece que o mutuário tenha a escritura do imóvel ao final da quitação do contrato, além de oferecer outros serviços que a Companhia possa intermediar junto à prefeitura, com o Cohab Presente. “Nesta renegociação, está sendo concedido um desconto de 70% dos juros e multas, e um parcelamento sem a cobrança de juros para famílias com renda total de até R$ 1.900, com parcelas fixas que cabem no bolso dos mutuários”, frisou.

O prefeito Samuca Silva, afirmou que a Cohab  é uma empresa pública de economia mista, merece atenção e reconhecimento pela sua qualificação de mercado e capacidade técnica. “O nosso objetivo  é atuar para reduzir e sanar essas dívidas, aumentar as receitas e buscar parceiros  para atender o déficit habitacional da cidade, através de entes públicos e da iniciativa privada. Por isto é importante que todos acessem o cadastro habitacional e se inscrevam para novos investimentos habitacionais”, concluiu.

error: Conteúdo protegido !