Centro de Reabilitação Física de Volta Redonda faz 1300 atendimentos em abril

0

A pandemia mostrou a necessidade do atendimento fisioterapêutico como parte essencial de reabilitação dos pacientes. Em Volta Redonda, o Centro Municipal de Reabilitação Física (CEMURF) faz cerca de 1300 atendimentos no mês de abril. O CEMURF, criado em 2004, no segundo mandato do governo Neto, funciona com atendimento ambulatorial, e em conjunto com o Centro Reabilitação em Pós-Operatório de Cirurgia Ortopédica e Saúde do Trabalhador Otacílio José da Costa, onde estão sendo feitos os atendimentos da clínica da dor, acupuntura, pilates, RPG, pós-operatório do membro superior e membro inferior.

“No nosso primeiro contato é agendada a avaliação feita por um fisioterapeuta. Após essa avaliação o paciente é encaminhado para a especialidade mais adequada a sua necessidade e dará início ao tratamento, podendo ser de 10 a 20 atendimentos, de acordo com sua necessidade”, explicou Luciana Lopes Costa, coordenadora municipal da fisioterapia, lembrando que a maior demanda atual é de pacientes com patologias traumato-ortopédicas, sejam de pós-operatório, agudas ou até mesmo crônicas.

Essa é a situação de Fabíola Mattiolla. A jovem relatou que iniciou o tratamento para dores há poucos dias e já está sentindo a diferença. “Estou gostando do atendimento. A equipe é muito atenciosa e presta um excelente atendimento”, elogiou.

Ainda de acordo com a coordenadora, os pacientes são encaminhados pelas Unidades Básicas de Saúde, pelos Hospitais São João Batista, Munir Rafful (Retiro) ou pelo INTO (rede estadual de saúde). Os atendimentos são realizados também nas Unidades Básicas de Saúde dos bairros Dom Bosco, Vila Mury, Retiro II, Siderlândia, Conforto, Água Limpa e Vila Rica. E ainda pelo Programa de Atendimento Domiciliar em Fisioterapia, que atende pacientes acamados.

Presença nos hospitais
Os fisioterapeutas que atuam na rede hospitalar trabalham na estrutura ambulatorial e também nas unidades semi-intensivas e intensivas, tendo papel na estabilização das estruturas muscular, articular e das vias respiratórias do paciente internado. O atendimento busca contribuir de maneira significativa no restabelecimento, auxiliando a equipe multidisciplinar na alta deste paciente o mais breve possível. É o que acontece com os pacientes internados com Covid-19. Além do atendimento dos fisioterapeutas nos hospitais como parte fundamental durante a pandemia da Covid-19, houve um aumento de 35% na procura pelo serviço pós-internação.
Foi o caso de Brenda Da Silva França, de 20 anos. Diagnosticada com Covid-19 em outubro do ano passado, a jovem fez tratamento da doença em Barra Mansa, onde residia. Porém, ao se mudar para Volta Redonda este ano, procurou o atendimento no Hospital São João Batista, ao voltar a sentir as mesmas dores. Após ser atendida e realizar todos os exames, verificou que não se tratava de uma reinfecção da doença, mas sim das sequelas da Covid-19. Após passar por atendimento especializado de uma pneumologista, foi indicada para a fisioterapia respiratória.

“Fiquei muito feliz em saber que o município está ofertando esse tipo de atendimento à população através do SUS. Logo, eu procurei a Unidade Básica de Saúde do meu bairro para que eu pudesse ter o encaminhamento para o estádio”, disse Brenda ao alertar os jovens sobre a gravidade da doença. “Ainda não terminou, pois tenho sequelas. Na verdade vou tê-las pelo resto da minha vida, mas com a fisioterapia eu tenho a oportunidade de aprender a como respirar direito de novo”, destacou.

Os atendimentos relacionados à pandemia também são gerados pelo isolamento e home Office que podem provocar dores devido ao aumento de estresse, ansiedade, ociosidade e depressão, como explica Luciana. “Com o retorno do atendimento nos consultórios, o índice de dores crônicas tem sido mais frequente e as agudas provenientes das atividades físicas executadas sem orientação de um profissional da área”, disse.

Serviço
O Centro de Reabilitação Física de Volta Redonda funciona no Estádio Raulino de Oliveira, situado na Rua 552, bairro Jardim Paraíba, de segunda a sexta-feira, das 7h às 12h e das 13h às 18h. O agendamento da avaliação após encaminhamento pela Unidade de Saúde, Hospitais ou Into deve ser feito das 8h às 12h e das 13h às 16h.

 

error: Conteúdo protegido !