Casarão de Arrozal reabre as portas para visitação pública

0

PIRAÍ

Serão reabertas hoje as portas do ‘Casarão Cultura de Arrozal – Memórias do Vale do Café, do Paraíba e dos Tambores’. A iniciativa tem parceria com a Secretaria Municipal de Cultura de Piraí, e irá proporcionar a visitação pública e realização de eventos culturais. Hoje, a partir das 19 horas, haverá apresentação musical da cantora Milla Vieira. No domingo, dia 1º de março, as atividades começam às 10 horas com contação de história.

O Casarão Cultural de Arrozal em sua exposição permanente reúne uma série de objetos de época retratando a história e a cultura da região, registros fotográficos e o acervo da centenária Banda de Música Santa Cecília Arrozalense.

No local, ainda estão disponibilizados para exibição e venda peças de artesanato produzidos nas oficinas do oferecidas pelo Casarão, como tecelagem, cerâmica e fuxico.

O secretário de Cultura e Esporte de Piraí, Rogério Nunes, ressaltou a importância do casarão de Arrozal como patrimônio histórico do município, por se tratar de um dos únicos prédios de época preservados e restaurados. “A abertura para visitação pública do casarão é uma importante conquista para todos no município, como um centro de referência histórica e atividades culturais que passarão a ser realizadas nos finais de semana”, explicou o secretário.

O casarão estará aberto para visitação de segunda-feira à sexta-feira, das 9 horas às 17 horas. Sábados das 16 horas às 21 horas e domingos das 10 horas às 13 horas. Está localizado à Praça São João Batista, no centro do distrito de Arrozal, em Piraí.

O Casarão

O casarão histórico de Arrozal demonstra fortemente o significado do ciclo do café para o distrito Arrozal que, sob o domínio da rubiácea chegou a ter diversas casas térreas e de sobrados de importantes cafeicultores.

O imóvel foi construído por Manoel de Souza Breves, por volta do ano de 1836, para servir de moradia no pavimento superior e comércio no térreo.

Mais tarde o casarão foi adquirido pelo comendador José de Souza Breves Filho, que no fim do ano de 1856, iniciou uma grande obra de expansão do imóvel.

O local teve sua restauração iniciada em 2014 através de projeto proposto pela Associação de Comunicadores de Arrozal e aprovado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac), através das Leis de Incentivo à cultura Federal e Estadual. Contou em sua primeira fase com o patrocínio da Petrobrás, Light, CCR NovaDutra e da Ceg Rio.