Casa da Cultura exibe exposição ‘Festas de Paraty’

0

PARATY

Paraty é cidade festeira por natureza. As festas tradicionais têm a religiosidade e a alegria com base, algumas remontam há séculos atrás. A Casa da Cultura de Paraty exibe uma mostra de tais festas, levando ao visitante toda uma narrativa sobre história, beleza e tradições das festividades locais, tão importantes para a identidade.

A exposição ‘Festas de Paraty’, está no Salão Nobre do loca podendo ser vista de terça a sábado, das 11 às 19 horas e aos domingos, das 15 às 19 horas, a entrada é franca. Destaque para as cortinas bordadas do artista plástico naif Julio Paraty. A abertura da exposição contou com alegria da Banda Santa Cecília, que embala a cidade tanto nas procissões como no carnaval de rua.

FESTAS DE PARATY

Nos dias de procissão em Paraty, de longe se escuta o foguetório e o som da banda se aproximando. Os moradores, prontamente, vão saindo de suas casas e comércios para ver os fiéis desfilarem com suas bandeiras, cheios de devoção e promessas. O andor vem apinhado de flores, trazendo a imagem do sagrado, enquanto os padres entoam as ladainhas. Toda a cena é perfumada pela fumaça exalada pelos incensários, que balançam como um pêndulo nas mãos do coroinha. Essa imagem é uma vívida lembrança na memória de muitos paratienses, que mesmo acostumados a ver ou acompanhar essas celebrações desde criança, ainda ficam imóveis perante tamanha manifestação de fé.

As festas religiosas de Paraty unem zona urbana, rural e costeira em prol da comemoração de seus santos. Num espírito de cooperação e caridade, os paratienses põem em prática suas crenças. No gene desse povo há um histórico centenário de gente festeira e honrar essa herança o permite estar integrado à cidade e suas raízes.

Durante algumas celebrações, Paraty parece ter parado no tempo. O povo coroa imperadores, distribui carne e doces, entretêm a corte com danças folclóricas e, sem cair na monotonia, colore a cidade em tons distintos a cada época do ano, assim como fazem as estações.

No carnaval os moradores também percorrem as ruas de pedra, mas, dessa vez, em meio aos bonecos de papel machê. No mês de agosto cultuam outra sagrada tradição: a cachaça! Tendo alguns dos melhores alambiques do país, o povo celebra a aguardente como uma divindade por aqui. Entre religiosidade e folia, a cidade sempre encontra motivos para festejar.

 

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !