Candidatos do Enem dizem que provas estavam extensas e interpretativas

0

BRASÍLIA

Terminou às 18h30min de domingo a segunda etapa de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em mais de 1,7 mil cidades do país. Estudantes responderam questões de Matemática e suas Tecnologias e Ciências da Natureza e suas tecnologias. O gabarito oficial do Enem 2018 será divulgado até 14 de novembro e a previsão é que o resultado seja publicado em 18 de janeiro de 2019.

Um dos primeiros a sair de um dos locais em Brasília, Danilo de Oliveira, 29 anos, está em seu quarto Enem. O estudante, que pretende conseguir uma bolsa para cursar tecnologia da informação, disse estar otimista. Segundo ele, mesmo se tratando de provas de exatas, o que predominou foi a capacidade de interpretar as questões.
Júlia Cofferre, 15 anos, fez a prova para treinar. Ainda fará outras edições futuras do Enem até chegar a hora definitiva para garantir uma vaga no curso de Relações Exteriores ou Ciências Políticas. “Acho que ajuda muito esse treino. A gente acaba se familiarizando com o tempo de prova de dinâmica de marcações das respostas”, comentou. Segundo ela, a prova deste ano foi “complicada e longa, mas não difícil”, disse.

Mesmo quem não estudou o suficiente, como Isabelle Linhares, de 21 anos, classificou o exame de forma positiva. “Se eu tivesse estudado mais, estaria mais segura. Não me preparei o suficiente” afirmou a jovem, que já é universitária e busca uma bolsa integral para continuar o curso de publicidade.

Uma questão abordando o jogo eletrônico Minecraft surpreendeu a estudante Julia Silva, de 17 anos, que fez as provas na Rua Vergueiro, zona sul da capital paulista. O jogo permite modelar um mundo imaginário a partir de construções feitas com blocos. A questão de matemática envolvendo essa realidade virtual foi considerada fácil pela estudante, assim como o restante da prova envolvendo a disciplina. “A parte de matemática estava fácil”, enfatizou. “Física estava extremamente difícil”, contrapôs.

Para as provas de ontem, os participantes tiveram quatro horas e trinta minutos, meia hora a mais do que na edição de 2017. Eles entraram às 13 horas.

PROFESSORES AVALIAM

A prova de matemática e ciências da natureza – que inclui biologia, física e química – foi mais fácil do que a do ano passado, segundo avaliação de professores que tiveram acesso às 90 questões do Enem. As questões abordaram temas tratados em sala de aula, usaram gráfico que facilitavam a resolução das questões e cobraram cálculos mais simples. (Agência Brasil)