Candidato a deputado federal acredita na renovação para povo ser realmente representado

0

SUL FLUMINENSE

Professor Benevenuto Santos é natural de Volta Redonda e vem pela primeira vez como candidato a deputado federal. Professor universitário no curso de Direito há 20 anos, se filiou ao Avante e acredita que a renovação é importante para oxigenar a política para dar chance ao povo ser realmente representado. Ele é neto do ex-prefeito de Volta Redonda Benevenuto dos Santos Neto, que governou a cidade de 1982 a 1986.

Questionado sobre como a política entrou em sua vida, o agora candidato com o mesmo nome que o avô disse que não seria possível dizer sem falar dessa construção da política na vivência com seu avô. Benevenuto disse que pegou o cenário das Diretas Já e do processo de redemocratização. Ele tinha 15 anos. De lá para cá, militou na causa, sem nunca ter se lançado como candidato, embora algumas vezes tenha adiado.

“Acompanhei algumas eleições e vi que em Volta Redonda, por exemplo, a partir de 2008 já havia a necessidade da oxigenação. Algumas pessoas falaram para eu tentar a candidatura, mas não vi como momento certo. Depois em 2012 tive a certeza da necessidade de renovação, que até aconteceu em 2016. E agora, como tenho visto um ambiente de mudança e as pessoas sempre reclamam que falta candidato, que é tudo a mesma coisa, decidi colocar em debate e provar que não é a mesma coisa. Tenho propostas”, afirmou o candidato.

Além disso, o professor, que é mestre e especialista em Administração Pública, defende que o perfil de um deputado federal deve ser pautado no conteúdo, uma vez que é um exerce o poder de formador de opinião. “Cada cargo político tem suas funções, não se trata de começar por baixo ou por cima. A questão é avaliar o perfil em que o candidato acredita que se encaixa para poder fazer o seu melhor pela população”, observa Benevenuto Santos.

Ele destaca que como propostas, se eleito, lutaria pela criação de um fundo de investimento local a partir da arrecadação de ICMS e IPI. Outro ponto seria o compromisso de empregabilidade das empresas que vencem licitações públicas. Citou o fato do uso cada vez mais crescente do Sem Parar, da Rodovia Presidente Dutra, acabando com os empregos nos pedágios. A tecnologia aliada a desburocratização de documentos na internet seria outro ponto, sem contar a destinação de emendas para cidades investirem em saneamento público.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !