Caminho de sucesso sem volta: Brasil desponta como potência nos esportes digitais

0

SUL FLUMINENSE

Com 152 milhões de pessoas conectadas à internet, de acordo com dados do Comitê Gestor da Internet do Brasil, o nosso país é uma das nações com mais habitantes online no mundo. Como não poderia ser diferente, os efeitos da digitalização têm impactado diversos setores e mudado a vida de muitas pessoas.

Prova disso é o sucesso dos esportes digitais em território nacional, como o poker online e eSports (esportes eletrônicos), que têm levado o nome do país para todos os continentes.

Poker online: Brasil com seis competidores no top 10 global

Modalidade secular, a base do poker como conhecemos atualmente nasceu em meados do século XIX, nos Estados Unidos. Ele surgiu por influência de colonos franceses que levaram para o território norte-americano um jogo de cartas chamado “poque”.

No século seguinte, se popularizou o estilo Texas hold ‘em. Variante fácil de ser compreendida por jogadores iniciantes, ela ganhou ainda mais força na década de 1970, quando os primeiros circuitos profissionais de poker norte-americanos passaram a adotar o Texas hold ‘em como o estilo de jogo primário nos torneios.

Tradição essa que se manteve até mesmo na digitalização da modalidade no atual século, com o surgimento do poker online e sua rápida ascensão em escala global. Além do atual conceito de regras do poker permanecer praticamente o mesmo na comparação com as décadas anteriores, como por exemplo no quesito distribuição de cartas, a modalidade virtual trouxe um novo dinamismo para o Texas hold ‘em e, mais do que isso, democratizou o esporte através da internet.

Posto isso, um dos países que mais se aproveitou da nova era do jogo foi o Brasil. Hoje, segundo dados da Confederação Brasileira de Texas Hold’em (CBTH), já são mais de 8 milhões de praticantes da modalidade de cartas em solo nacional. Além disso, no ranking global promovido pelo site PocketFives (conteúdo em língua inglesa), quatro dos dez melhores jogadores online do mundo são brasileiros: Dalton Hobold “daltonhb” (2º); Lúcio “Lima 92” (3º); Pedro Padilha “PaDiLhA SP” (5º); Tauan “tauannaves” (6º).

eSports: Brasil é o 3º país em audiência global na modalidade

Sucesso global de engajamento e popularidade, os eSports são torneios de jogos eletrônicos nos quais os competidores atuam como atletas em estruturas profissionais e representam equipes. Contudo, apesar desse conceito ter entrado em evidência no século atual, vale destacar que a modalidade nasceu há 50 anos, em 1972, na Universidade Stanford (Estados Unidos).

Naquela ocasião, foi disputada as “Olimpíadas Intergaláticas de Spacewar” entre os próprios alunos da universidade. Para título de curiosidade, o prêmio para o ganhador da competição foi uma assinatura de 12 meses revista “Rolling Stone” — bem distante das cifras milionárias que são distribuídas em premiação nos maiores torneios de hoje em dia.

Nas décadas seguintes, as competições de eSports ganharam mais apoio, essencialmente em eventos promovidos por grandes empresas de consoles, como Atari e Nintendo. Porém, era apenas uma modalidade de nicho no período pré-popularização da internet.

Até que entramos nos anos 2000, período no qual a internet se expandiu e possibilitou a criação dos primeiros campeonatos online de eSports. Ao longo do tempo, foram surgindo times patrocinados por grandes companhias e a coisa foi ficando cada vez mais séria, principalmente quando surgiu a Twitch TV, em 2011.

Dessa maneira, não demorou muito para que o fenômeno eSports tomasse conta do Brasil. Segundo a Newzoo, empresa de consultoria que é líder global de análise no mercado de jogos eletrônicos, o Brasil já conta com o terceiro maior público do setor no mundo.

Ainda há espaço para crescer: expectativa para o futuro das modalidades eletrônicas no país

Com as novas gerações surgindo e envolvidas cada vez mais com aplicativos e redes sociais para consumo, bem como em serviços de streaming nas mais diversas plataformas de jogos eletrônicos, a tendência é que até o fim da década as modalidades online continuem em ascensão no país.

Em declaração para o site da Red Bull, em agosto do ano passado, a comentarista de eSports da Riot Games, Letícia Motta, disse acreditar que em breve teremos mais entusiastas de esportes eletrônicos do que propriamente em modalidades tradicionais.

De fato, o comentário de Letícia faz sentido, tendo em vista o atual cenário próspero divulgado pelas pesquisas de mercado. Segundo o 9º levantamento da Pesquisa Game Brasil (PGB), uma das fontes mais confiáveis para análise do cenário eSports, 74,5% dos brasileiros jogam jogos digitais no país, independentemente da plataforma utilizada.

O que, convenhamos, é um número muito expressivo para uma nação de dimensões continentais. Por último, é válido ressaltar que o referido estudo da PGB entrevistou 13.051 pessoas em todos os Estados, além do Distrito Federal, entre os dias 11 de fevereiro e 7 de março deste ano.