Brasil ultrapassa marca de 100 milhões de pessoas cadastradas na biometria

0

SUL FLUMINENSE/BRASÍLIA

Em todo país, o cadastramento biométrico das impressões digitais dos eleitores superou na última semana a marca histórica dos 100 milhões de registros, o que corresponde a 68,50% do total dos 145,9 milhões de eleitores existentes no país. A biometria é uma tecnologia empregada pela Justiça Eleitoral que permite identificar o cidadão, de modo seguro e eficaz, por meio das impressões digitais, da fotografia e de sua assinatura. Na região Sul Fluminense, algumas cidades estão com cadastramento obrigatório dos eleitores.

A biometria começou a ser implantada pela Justiça Eleitoral em 2008. Ano a ano a identificação do eleitoral está evoluindo. Pela Etapa 2019/2020 do Programa de Identificação Biométrica, eleitores de 1.686 municípios de 16 estados deverão cadastrar suas impressões digitais até o final do próximo ano. A meta é alcançar 35 milhões de cidadãos nesta fase.

Para as Eleições Municipais de 2020, a Justiça Eleitoral espera ter cadastrado biometricamente 117 milhões de eleitores, encerrando a coleta das impressões digitais de todo o eleitorado nacional até 2022.

NA REGIÃO

No Sul Fluminense acontece o cadastramento biométrico obrigatório em algumas cidades. Em Rio Claro a ação teve início no dia 5 de junho e segue até 1º de dezembro deste ano. Engenheiro Paulo de Frontin também iniciou o cadastramento no dia 5 e segue com ele até 22 de setembro; em Mendes o prazo também começou neste mês e segue até 1º de dezembro. Vassouras está fazendo o cadastramento desde o dia 17 deste mês. Em Levy Gasparian, Porto Real e Quatis o cadastramento obrigatório terá início no dia 2 de agosto e seguirá até 1º de dezembro.

Em qualquer cartório eleitoral das cidades da região, o eleitor que quiser consegue fazer o cadastramento biométrico.

Documentos necessários

Para fazer a biometria, o eleitor precisa ir ao Cartório Eleitoral da cidade, levando documento de identificação oficial com foto, comprovante de residência (até três meses de emissão) e o título de eleitor (caso possua). Para mais informações, o eleitor deve acessar www.tre-rj.jus.br/biometria.

Biometria na eleição

No momento da votação, o reconhecimento das impressões digitais ocorre por meio de leitor biométrico acoplado ao terminal do mesário. Como cada indivíduo possui digitais únicas, tal medida oferece a garantia de que quem está votando é realmente o titular do voto. Assim, a biometria dá ainda mais segurança ao pleito.

Além disso, o sistema AFIS (Automated Fingerprint Identification System), adotado pela Justiça Eleitoral, afasta situações de duplicidade ou multiplicidade de inscrições no cadastro eleitoral. Isso porque faz o batimento eletrônico das dez impressões digitais de cada eleitor cadastrado com as digitais de todos os eleitores registrados no banco de dados. O sistema, que compara até 160 mil impressões digitais por dia, pode ter sua capacidade ampliada se preciso.

 

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !