Brasil criou 253 mil vagas de emprego em outubro; Volta Redonda se destaca no Sul Fluminense

0

SUL FLUMINENSE

O Ministério do Trabalho e Previdência divulgou o resultado do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged). De acordo com os dados, o Brasil gerou 253.083 empregos com carteira assinada em outubro. Conforme o levantamento, o saldo é de 2,6 milhões de novas vagas nos dez primeiros meses deste ano.

No mês passado, o setor de serviços gerou 144,6 mil postos de trabalho. No comércio, foram criadas 70,3 mil vagas. Em terceiro lugar, o setor da industria teve saldo de 26,6 mil novos empregos. Os estados de São Paulo (76,9 mil), Minas Gerais (21,3 mil) e Rio de Janeiro (19,7 mil) foram as unidades da federação que mais geraram postos de trabalho.

Na região, Volta Redonda, mais uma vez, lidera o número de vagas de empregos. Foram 224 novas vagas criadas, seguida por Resende com 139 e Itatiaia com 99. A surpresa fica por conta de Porto Real, que registrou mais desligamentos do que novas vagas e Quatis, com um total de zero, ou seja, o número de admissões foi o igual ao de desligamentos.

Angra dos Reis

Admissões- 900

Desligamentos- 871

Total- 29

Barra do Piraí

Admissões- 489

Desligamentos- 395

Total- 94

Barra Mansa

Admissões- 1008

Desligamentos- 937

Total- 71

Itatiaia

Admissões- 297

Desligamentos- 198

Total- 99

Piraí

Admissões- 265

Desligamentos- 205

Total- 60

Porto Real

Admissões- 160

Desligamentos- 245

Total- – 85

Quatis

Admissões- 42

Desligamentos- 42

Total- 0

Resende

Admissões- 1153

Desligamentos- 1014

Total- 139

Rio Claro

Admissões- 47

Desligamentos- 30

Total- 17

Valença

Admissões- 285

Desligamentos- 204

Total- 81

Volta Redonda

Admissões- 2311

Desligamentos-2087

Total- 224

Rio de Janeiro cria mais de 19 mil vagas de emprego

O Rio de Janeiro começou a gerar novos postos de trabalho depois de recuperar 100% dos empregos perdidos com a pandemia. O Estado do Rio apresenta saldo positivo na geração de empregos: 19.703 postos de trabalho com carteira assinada foram criados em outubro. O resultado é aproximadamente 30% maior, se comparado com igual período do ano anterior. Além da recuperação total dos empregos, os dados do Novo Caged apontam para a geração de mais de 1.500 vínculos empregatícios, indicando uma melhora crescente na empregabilidade do Estado. No acumulado de janeiro a outubro, o saldo do Rio de Janeiro é de 142.234 postos de trabalho.
Na análise do mês, entre os setores que mais criaram empregos destacaram-se Serviços (11.682) e Comércio (4.884), seguidos, respectivamente, pela Indústria, com 2.907 postos de trabalho, e Construção, com 1.003. Os indicadores mostram que o maior saldo de vagas foi preenchido por jovens entre 18 e 24 anos. Por grau de instrução, 78,5% dos postos foram ocupados por pessoas que possuem o Ensino Médio completo.  A divisão por gênero continua equilibrada, com 52% dos homens e 48% das mulheres preenchendo as vagas.

IBGE: emprego com carteira assinada na área privada têm alta de 4,4%

Já o  Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) que informam que o  número de empregados com carteira de trabalho assinada no setor privado, sem contar os trabalhadores domésticos, atingiu o número de 33,5 milhões de pessoas no terceiro trimestre de 2021. Esse total representa um avanço de 4,4%, ou mais 1,4 milhão de pessoas, na comparação com o período anterior e de 8,6% ou mais 2,7 milhões de pessoas em relação a 2020.

O número de empregados sem carteira assinada no setor privado também aumentou. No terceiro trimestre do ano eram 11,7 milhões de pessoas, o que representa alta de 10,2% ou de 1,1 milhão de pessoas. A comparação é com o trimestre anterior. Já em relação a igual trimestre de 2020, o avanço é de 23,1% ou 2,2 milhões de pessoas.