Barra Mansa sedia congresso internacional de cães policiais

1

BARRA MANSA

O Parque Natural Municipal de Saudade sediou neste sábado, dia 21, o 1º Congresso Unidade K9 Internacional de Cães de Polícia e Trabalho. O evento, que contou com apoio da prefeitura, teve como objetivo estimular o uso de cães pelas forças de segurança, a troca de informações entre os profissionais da área, além de fomentar a prática no Sul Fluminense. A atividade contou com demonstrações do trabalho de cães farejadores.

Segundo o líder regional da Unidade K9 Internacional, Glécio Fabiano de Moura, a utilização de cães adestrados na região ainda é limitado, a Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) é uma delas e a Guarda Municipal de Miguel Pereira implantou o trabalho há alguns dias. “Um dos objetivos deste evento é fomentar a prática do uso de cães. Nos grandes centros os animais são usados em operações de busca e apreensão de drogas e armas, além de trabalharem em resgates de vítimas de acidentes, como desabamentos e alagamentos, e até na localização de pessoas desaparecidas. Hoje temos aqui alguns profissionais que trabalham nas buscas pela menina Vitória”, comentou Moura se referindo a jovem Vitória Gabrielly, de 12 anos, sequestrada e assassinada em Araçariguama (SP), em junho.

O líder da Unidade K9 Internacional e especialista em treinamento de cães farejadores, Jorge Pereira, destacou os benefícios deste tipo de evento, principalmente para a segurança pública das cidades brasileiras. “Reunimos aqui em Barra Mansa os maiores nomes da cinofilia nacional e com isso a gente consegue trocar informações com relação ao treinamento de cães, inclusive de fora do país. Eventos assim trazem benefícios não somente para a cidade, mas para toda população e principalmente para as forças de segurança, já que é um evento gratuito e ainda há pouco interesse do poder público em investimentos nessa área”, avaliou.

Além de profissionais que contam com experiência internacional, o congresso reuniu integrantes do Exército, Aeronáutica, Marinha, Polícia Militar do Rio de Janeiro através do Batalhão de Ações com Cães (BAC), Polícia Federal e Guardas Municipais de algumas cidades, inclusive de outros estados como São Paulo e Minas Gerais.

DEMONSTRAÇÃO

Durante o evento, houve uma demonstração com a cadela Laika, de quatro anos e da raça pastor belga Malinois. O animal pertence à Aeronáutica e trabalha no combate ao tráfico de armas e drogas no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. No teste, um entorpecente foi escondido em uma área de mata e Laika conseguiu encontrar em alguns minutos, mesmo em condições não favoráveis, como a presença de um formigueiro próximo ao local onde a droga foi deixada.

Ao encontrar o objeto procurado, a cadela deitou, sinalizando ao seu condutor que o encontrou. O especialista em treinamento de cães farejadores, Jorge Pereira, explicou que após o trabalho os animais recebem uma recompensa. “Para eles é uma brincadeira de encontrar aquele entorpecente. Depois de achado, nós fazemos a troca, dando o brinquedo ou comida, que é uma forma de recompensá-los”, afirmou.

1 comentário