Bancos realizam Semana de Negociação e Orientação Financeira

0

SUL FLUMINENSE

Os correntistas inadimplentes com suas agências bancárias têm boa oportunidade de negociar as dívidas. Teve início nesta segunda-feira, dia 2, e segue até a sexta-feira, dia 6, a Semana de Negociação e Orientação Financeira. A iniciativa desenvolvida pela Federação Brasileiras de Bancos (Febraban) é a primeira ação do acordo de cooperação técnica com o Banco Central. Participam da atividade: Banco do Brasil, Banrisul, Bradesco, Banco Pan, Caixa Econômica, Itaú e Santander.

São 458 agências com horário estendido no atendimento direto ao cliente em todo o país, porém, mais direcionado a capitais e regiões metropolitanas. No caso dos clientes do Sul Fluminense, prevalece o atendimento padrão de cada agência das instituições envolvidas: das 11 às 16 horas, de segunda a sexta-feira. O cliente tem opção ainda de realizar a negociação através dos canais digitais dos bancos e pela plataforma www.consumidor.gov.br. “É um esforço coordenado com o Banco Central visando aproveitar a capacidade de comunicação e capilaridade das instituições financeiras, e o conhecimento que elas detêm de seus clientes e usuários, para ampliar o acesso das pessoas a informações sobre o tema em todo o país”, comenta Amaury Oliva, diretor de Autorregulação da Febraban.

Seguindo políticas próprias de negociação, os bancos vão oferecer condições especiais que podem envolver parcelamento, extensão do parcelamento, uma linha nova de crédito com juros menores e descontos da dívida, entre alternativas. “Há o compromisso de que, durante a semana, haverá condições especiais de negociação, com o objetivo de se chegar a acordos sustentáveis e resgatar a capacidade financeira do consumidor”, informa Oliva.

Com dívidas desde 2017 com o Banco do Brasil, a maquiadora Janaína Villar, viu sua vida ficar travada com nome negativado. “Limita a gente a fazer muitas coisas, como comprar em loja, abrir crediário. Quero ir à minha agência e ver as condições de negociação. Sei que devia R$ 1 mil pelo uso do cheque especial e já está em torno de R$ 18 mil. Vou propor parcelamento”, argumenta a moradora de Volta Redonda. O cozinheiro Antônio Maia, de Resende, espera obter um acordo visando às compras de Natal. “Com nome limpo poderei ter cartão de crédito e acesso a empréstimos e financiamento. Minha única dívida é com a Caixa e vou tentar resolver sim”, comenta.

PLATAFORMA ON-LINE

O acordo de parceria entre a Febraban e o Banco Central também prevê a realização de outras ações de educação financeira: a criação de uma plataforma on-line com conteúdo exclusivo, a promoção de um concurso nacional voltado ao desenvolvimento de iniciativas sobre o tema e o desenvolvimento de projetos do setor bancário durante a Semana Nacional de Educação Financeira (Semana Efef).

A plataforma online reunirá conteúdo diversificado, relacionado ao tema, e medirá a saúde financeira dos consumidores por meio de um indicador próprio. Haverá incentivo ao uso do site: de acordo com a sua utilização, o consumidor ganhará pontos que poderão ser revertidos em benefícios financeiros. O detalhamento dos benefícios ainda está em discussão com bancos e BC.

A ferramenta deve entrar em fase piloto em setembro de 2020. A versão final está prevista para fevereiro de 2021. “É do interesse do setor bancário orientar os clientes sobre o melhor uso do credito, e difundir conhecimento que possa auxiliar transformações positivas de comportamento, para melhorar a relação das pessoas com o dinheiro e sua qualidade de vida”, diz o presidente da Febraban, Murilo Portugal.