Baltazar se apresenta como pré-candidato apostando na experiência e visão de futuro

0

VOLTA REDONDA

A experiência atrelada à visão de futuro. Assim Paulo Baltazar definiu como se posiciona como pré-candidato a prefeito nas eleições deste ano. Filiado ao PSD, Baltazar visitou a redação do A VOZ DA CIDADE, onde falou sobre o desafio nos governos a partir de 2021 devido a pandemia de Covid-19. Ele disse que vê a crise sob a ótica de dois aspectos: saúde e economia; e que precisa haver experiência para passar por ela. “Tenho experiência acumulada, fui prefeito, deputado federal e vereador. Sobretudo prefeito numa época de crise, de privatização da CSN, onde quase dez mil funcionários ficaram desempregados. Foi feito muito por Volta Redonda”, relembrou.

Baltazar destacou que sua pré-candidatura não foi atrelada a desistência do prefeito Samuca Silva na tentativa de reeleição. Ele disse que foi convidado pelo partido e que está tranquilo porque a escolha do nome será feita pela legenda. “Coloco meu nome com muita tranquilidade, sem nenhuma vaidade”, disse o pré-candidato que foi diretor médico do Hospital Municipal Dr. Munir Rafful, o Hospital do Retiro. Questionado se contaria com o apoio do atual prefeito diante disso, como parte do grupo político onde um será escolhido para ser o candidato do governo, lembrou que era funcionário da OS que administra o local e não cargo comissionado. “Não faço base de sustentação de governo, o grupo que participo é de fato eclético e tenho dito que precisamos quebrar essa questão de Grupo A contra Grupo B. Isso, sobretudo em crise não tem sentido. Temos que olhar o que todos têm de bom, pessoas que possam ajudar a ultrapassar a crise. Pensar diferente é a velha política. Não quero trabalhar com ódio e nem com medo. Se escolhido pelo partido e depois pela população, quero trabalhar com todos que queiram ajudar Volta Redonda”, afirmou.

Sobre essa rixa política, Baltazar destacou que quer ficar de fora. Lembra que algumas pessoas têm falado a respeito de governar, alguns querendo olhar para o passado. “O que tem no passado é a experiência, essa sim é fundamental, mas a cidade precisa de quem tenha visão de futuro. Governar é como o farol do carro, ele sempre é voltado para frente”, apontou o pré-candidato, frisando que tem diversas ideias a respeito do futuro, se eleito.

Uma delas é usar a tecnologia a favor do governo, tanto na educação, como saúde e as demais áreas. Citou uma ferramenta para o conteúdo educacional ficar para o estudante o tempo inteiro em plataforma digital. Além disso, como médico, frisa que a saúde precisa estar interligada, ou seja, um paciente vai num posto, o médico passa o exame, depois o especialista tem esse histórico digital e dá prosseguimento ao tratamento, o que muitas vezes não acontece hoje em dia. Segundo ele, não apenas nessa área, mas em outras a tecnologia gera economia. No desenvolvimento econômico, destacou que é preciso uma visão regionalizada para que as cidades cresçam. Um planejamento estratégico pensando regionalmente para agir localmente. “E mais do que ideias de projetos, penso que governar é saber cuidar das pessoas. A minha profissão me dá essa sensibilidade”, afirmou.

NO HOSPITAL DO RETIRO

Como diretor médico do Hospital do Retiro, onde se desincompatibilizou recentemente, Baltazar disse muitas conquistas aconteceram. “Conseguimos uma gestão programada, planejada, claro que na saúde sempre se pode fazer mais, nos estimula a melhorar. Conseguimos eliminar as filas de cirurgias que tinham mais de três anos. Com acolhimento, humanização, muitas melhorias foram alcançadas, ainda mais com a integração do hospital com especialistas da UniFOA, que ficam no anexo, de uma velocidade, capacidade de atendimento muito boa”, argumentou.

error: Conteúdo protegido !