Apreensões de entorpecentes aumentam mais de 300% nas rodovias federais do estado do Rio

0

RIO
Mais de 12 toneladas de drogas foram apreendidas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), nas rodovias federais do Rio de Janeiro. A estatística é referente aos dez primeiros meses do ano. Em um comparativo com o mesmo período do ano anterior, houve um aumento de 327%.
Em 2018, a PRF já apreendeu 10,5 toneladas de maconha e duas toneladas de cocaína. Também foram apreendidos 11 quilos de haxixe, nove quilos de crack, 1.033 unidades de ecstasy e 293 unidades de ácido lisérgico (LSD). Foram presas 156 pessoas por tráfico de entorpecentes.
Somente nos últimos dois meses, mais de uma tonelada de cocaína foi apreendida. Um prejuízo milionário para os traficantes. O destino dos entorpecentes seriam comunidades cariocas, onde seriam vendidos. Para tentar despistar a fiscalização, as quadrilhas utilizam os mais diversos meios. A maior parte das drogas foi encontrada em fundos falsos de veículos.
A principal rota utilizada pelos traficantes é a Rodovia Presidente Dutra, (BR-116). Mais de meia tonelada de cocaína foi encontrada escondida num fundo falso de uma caminhonete, em Seropédica, na semana passada. Alguns dias antes, mais de 200 quilos também foram interceptados, na mesma região. No final de semana, cerca de 110 quilos de cocaína foram apreendidos. O entorpecente estava escondido numa carga de toneladas de sucatas. Em todos os casos as drogas seriam distribuídas no Rio de Janeiro.
No mesmo período do ano anterior, foram apreendidas 2,8 toneladas de maconha, 148 quilos de cocaína, 10 quilos de crack, 574 gramas de haxixe, 168 unidades de ecstasy e 15 unidades de LSD. Além disso, 152 pessoas foram flagradas e presas por tráfico de entorpecentes.
FLAGRADO COM AVES SILVESTRES
Um homem, de 47 anos, que não teve sua identidade divulgada, foi flagrado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), em uma abordagem na rodovia Presidente Dutra (BR-116), em São João de Meriti, na Baixada Fluminense com duas aves silvestres. O flagrante aconteceu na manhã de sexta-feira, dia 9. As aves eram transportadas em um caixa de papelão dentro de um carro. Durante a fiscalização, foi verificado que o passageiro estava com uma caixa de papelão contendo dois pássaros silvestres sem licença ambiental da espécie de nome popular Papagaio.
Diante dos fatos, foi constatado que o crime ambiental, tipificado na lei 9.605/98 em seu artigo 29, que traz “Matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida”.
As aves foram encaminhadas ao Órgão Ambiental competente do Rio de Janeiro/RJ para os procedimentos cabíveis. O homem foi detido pela PRF que realizou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).