Após denúncia de pesca ilegal, camarão e outros peixes são apreendidos em Angra dos Reis

0

ANGRA DOS REIS

Policiais militares da Unidade de Policiamento Ambiental (UPAm) apreenderam na manhã desta sexta-feira, dia 2, 41 quilos de camarão branco, 17 quilos de pescados diversos, duas redes de arrasto e uma embarcação, no bairro Enseada. A apreensão foi feita após denúncias sobre pesca irregular feitas ao Linha Verde – programa do Disque Denúncia voltado para recebimento de informações sobre crimes ambientais.

A denúncia que foi encaminhada aos policiais militares da 4ª UPAm, mencionava que, diariamente entre 5 e 6 horas, poderiam ser encontrados homens realizando pesca irregular, inclusive de espécies em período de defeso. Com essas informações, a equipe lotada na Unidade de Policiamento Ambiental do Parque Estadual da Juatinga esteve no local denunciado. “Já na chegada, podemos observar a aproximação de uma embarcação do tipo arrasto na costa do bairro Enseada, onde dois suspeitos estavam desembarcando duas caixas de isopor em uma canoa estacionada numa servidão de acesso à praia”, contaram os policiais que questionaram um dos suspeitos sobre o conteúdo das caixas e foram informados de que havia camarões e outros pescados. “Segundo o suspeito, a pesca de arrasto foi realizada com auxílio de uma embarcação de 36 pés durante a madrugada, mas o próprio não possuía nenhuma documentação legal junto a Capitania dos Portos e tampouco o Registro Geral de Atividade Pesqueira (RGP), infringindo então a instrução normativa do IBAMA, que versa sobre o período de defeso do camarão”, informaram os militares.

A apreensão foi feita após denúncias sobre pesca irregular feitas ao Linha Verde-Divulgação PM

Diante dos fatos, os policiais recolheram todo o pescado e as redes de pesca e procederam à 166ª Delegacia de Polícia (DP) para o registro da ocorrência. Após perícia, um agente fiscal sanitário da Prefeitura de Angra dos Reis esteve no distrito, onde atestou que os 41 quilos de camarão e pelo menos 12 quilos de peixes estavam próprios para consumo, e por esse motivo, foram doados para o Centro de Atenção à População Moradora de Rua, Casa Abrigo da Criança e Adolescente, além da Associação de Caridade São Vicente de Paulo.

Já as duas redes de arrasto apreendidas ficaram na delegacia, enquanto que a embarcação ficou sob os cuidados do acusado, que ficou como fiel depositário. Após contato na Capitania dos Portos, o suspeito recebeu uma notificação informando que o barco não possuía registro da capitania e por esse motivo será instaurado um inquérito militar.

Vale reforçar que a população pode denunciar crimes contra o meio ambiente ao Linha Verde, através do telefone 0300 253 1177 (custo de ligação loca) ou ainda pelo aplicativo “Disque Denúncia RJ”. Em todos os canais, o anonimato é garantido ao denunciante.

error: Conteúdo protegido !