Após atuação do MPRJ em parceria com o Município, Clínica Psiquiátrica em Três Rios encerra atividades

0
TRÊS RIOS

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da atuação da Promotoria de Justiça Cível e de Família de Três Rios,  com o apoio dos CAOs Saúde, Cível e Pessoa com Deficiência e Idoso, conseguiu junto ao Município do Centro-Sul Fluminense que pacientes internados em Clínica Psiquiátrica Boa União fossem transferidos para residências terapêuticas, assegurado um tratamento humanizado.

Os antigos internos da unidade, conhecida também como Clínica Três Rios ou, vulgarmente “Clínica Boa Morte”, passam a contar com residências terapêuticas, que assim como os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), reúnem profissionais especializados no acolhimento e tratamento de pacientes com distúrbios psiquiátricos. Com isso, ao invés de internações dentro de instituições totais, como os hospitais psiquiátricos, onde há completa exclusão da sociedade, cumpre-se o direito a um tratamento humanizado, em locais especializados para o tratamento de pessoas com transtornos mentais.
A atuação do MPRJ transcorre desde o ano de 2019 com a recomendação de intervenção na gestão do SUS municipal devido a irregularidades e inconformidades identificadas no local. Em julho daquele ano, época da intervenção, a Clínica Três Rios tinha cerca de 110 pacientes, muitos com mais de 10 anos de internação ininterrupta. O trabalho conjunto com a Prefeitura de Três Rios permitiu que na terça-feira (18/05), Dia Nacional da Luta Antimanicomial, a clínica fosse definitivamente fechada e tivesse as atividades encerradas.
O MPRJ promoveu a tutela individual de todos os pacientes, viabilizando registro civil, obtenção de benefícios e  reintegrações familiares, quando possível. Houve ainda um intenso trabalho para a construção dos equipamentos necessários ao acolhimento desses pacientes nos seus municípios de origem. Foram implantados os serviços de residência terapêutica em Paraíba do Sul, Areal, Três Rios e Sapucaia, de forma a receber os pacientes desinstitucionalizados.
Os 26 pacientes da antiga instituição, cujo retorno familiar se mostrou inviável, foram transferidos para as  residências terapêuticas implantadas no Município de Três Rios.
Os pacientes que necessitem de internação, nos casos de urgência psiquiátrica, receberam atendimento, sendo as internações realizadas nos leitos regulados para este fim, em hospital geral.
error: Conteúdo protegido !