Antonio Furtado levará ao Governo do Estado ideia de iniciar projeto social de forma remota

0

 SUL FLUMINENSE

“Percebemos que a pandemia agravou a utilização de drogas lícitas e ilícitas, principalmente, entre os jovens”. A frase é do deputado federal Antonio Furtado (PSL) ao falar sobre a reformulação do projeto “Despertar: Sou feliz sem drogas e sem violência”, idealizado pelo parlamentar antes da pandemia, visando conscientizar sobre o uso de drogas e violência contra a mulher. O projeto não chegou a ser implantado devido às restrições nas escolas estaduais em virtude da pandemia de Covid-19.

O deputado pretende solicitar ao Governo do Estado que faça treinamentos e palestras de maneira remota. Teremos a participação de autoridades de várias  áreas, como Delegado de Polícia, Oficial da Polícia Militar, Promotor de Justiça, Defensor Público e Juiz de Direito. Esses profissionais serão convidados por possuírem vivência nesse mundo das drogas, pois atuam, diretamente, com pessoas envolvidas com entorpecentes e que acabaram com problemas criminais. Mostrar as consequências é uma forma de conscientização”, destacou o parlamentar.

O objetivo de levar um trabalho de conscientização às escolas estaduais é para evitar que adolescentes e jovens ingressem na vida de crimes e, também, promover uma reflexão sobre a violência doméstica e contra a mulher, continua o mesmo. As alterações que serão realizadas dizem respeito a forma como os professores e alunos receberão o conteúdo.    A forma de distribuição do conteúdo e o acesso para os professores e alunos ainda será analisado junto ao Secretário Estadual de Educação, Comte Bittencourt, e apresentado em seguida ao Governador Cláudio Castro. “A ideia é ir ampliando o programa gradualmente, ano a ano, contemplando escolas municipais e até privadas nas futuras edições. Sabemos que a conscientização é a melhor maneira de evitar que o jovem entre nas drogas e no crime. É melhor fortalecer e educar agora para evitar que seja necessário punir no futuro”, alertou o deputado federal.

 

error: Conteúdo protegido !