Aman desenvolve Projeto de Revitalização de Infraestrutura

0

RESENDE

A Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) recebeu na quinta-feira, dia 4, a comitiva composta por oito equipes do Sistema de Engenharia do Exército que terá o objetivo de fazer um levantamento e a vistoria técnica in loco pelo Projeto de Revitalização da Infraestrutura do Conjunto Principal I e do Conjunto Principal II e suas áreas contíguas, além da análise de demandas das necessidades de obras na Seções de Educação Física e na Seção de Equitação. As ações foram autorizadas pelo Departamento de Educação e Cultura do Exército, contam inclusive com o gerenciamento do Departamento de Engenharia e Construção.

A comitiva tem um efetivo variável de 65 militares da Diretoria de Obras Militares (DOM), Diretoria de Projetos de Engenharia (DPE), Prefeitura Militar Acadêmica, 1º, 2º, 3º, 4º e 5º Grupamentos de Engenharia. Segundo o coordenador executivo das equipes do Sistema de Engenharia do Exército, major do quadro de engenheiros militares, Marcus Vinicius de Paiva Rodrigues, cada equipe conta com engenheiros, arquitetos e técnicos de diversas especialidades, além de um chefe, que o apoia na coordenação dos trabalhos. A iniciativa visa levantar as diversas demandas estruturais dos setores nas instalações.

Os militares analisam planejamento durante a primeira fase do projeto – Divulgação

O Conjunto Principal I foi construído em 1944, época da instalação da Academia em Resende. Já o Conjunto Principal II foi construído posteriormente, sendo inaugurado em 1988. “Ao longo de décadas, uma cidade se formou em torno dessa Academia. E tendo proporções de um município, há um dinamismo diário de demandas. A Aman nunca para e por isso um projeto de revitalização torna-se atividade prioritária, que demanda esforços em prol da conservação de um espaço de tamanha relevância”, justifica a Aman.

Entretanto, após o término da estadia da comitiva na Aman, prevista para o próximo dia 12, haverá um prazo de trabalho de elaboração e aprovação do relatório final da primeira fase, previsto para conclusão no início de abril deste ano. Segundo a Aman, a fase de elaboração dos projetos virá na sequência e caberá ao Estado-Maior do Exército e ao Alto Comando definir as prioridades e a alocação de recursos.

O trabalho visa promover a revitalização da Aman, construída em 1944 – Divulgação

Neste sentido, a Prefeitura Militar Acadêmica terá um papel fundamental no apoio à elaboração desses projetos e à contratação de suas obras. “Especificamente na Engenharia e nas Obras Militares, nossos projetos e obras atualmente passam, todos, por uma análise de viabilidade técnica, econômica e ambiental que se alinha perfeitamente com os pilares da sustentabilidade”, disse o major Paiva Rodrigues. Segundo o comandante da Aman, general de Brigada Paulo Roberto Rodrigues Pimentel, trata-se de uma obsessão em prol da preservação do patrimônio público e do cuidado com o ensino do cadete.

CASAS

As melhorias não estão acontecendo somente nas instalações internas da Aman. Estão também no radar as casas da Vila Militar. Por isso, o general Pimentel avalia que a manutenção é fundamental para a preservação efetiva de todos esses espaços. “A Academia é muito mais que uma obra arquitetônica, é ela que faz nosso Exército Brasileiro ter uma espinha dorsal bem definida.  Toda nossa energia tem de estar voltada para a formação de nosso cadete”, finaliza Pimentel.