Aman comemora 210 anos de fundação com formatura e entrega de diploma

0

RESENDE

A Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) comemora nesta sexta-feira, dia 23, seus 210 anos de criação. Para marcar a data, será realizada solenidade de formatura simbólica e, logo após acontece a entrega de diplomas de reconhecimento aos civis e militares colaboradores da Academia que serão agraciados com o título de “Amigo da Aman”. A solenidade acontece a partir das 11 horas, nos pátios de formatura.

As comemorações de aniversário de fundação da Aman estão sendo realizadas desde o início desta semana. Entre as atividades realizadas uma palestra contando sobre a trajetória da instituição e o plantio de mais uma muda de árvore Pau Brasil, além da abertura da segunda edição do Desafio Agulhas Negras. O desafio é fruto do aprendizado obtido com a participação de cadetes da Academia em outros desafios internacionais de patrulha (West Point- Estados Unidos e Chimaltalli – México). Ao todo, oito equipes participaram do Desafio Agulhas Negras.

Coronel Durland palestrou durante as comemorações contando um pouco sobre a história da Aman -Divulgação

Uma palestra realizada na quarta-feira, dia 22, contou um pouco da história da Academia. Durante a palestra, idealizada pela cadeira de História Militar da Aman, o coronel Durland e cadetes apresentaram aos presentes o início das instalações, as mudanças curriculares e estruturais enfrentadas pela Escola Militar e as participações em conflitos históricos e sociais ao longo dos séculos. “Os cadetes de Caxias, com seus símbolos, tradições e valores, evidenciam o quão fundamentado e em consonância está o ensino técnico e acadêmico de nossos futuros oficiais. A sua integração com as Nações Amigas vem se fortalecendo e hoje engloba 11 países, que têm cadetes como parte integrante do corpo discente”, disse o coronel, informando que há mais motivos para comemorar tantas décadas de existência. “Em 2018, um novo capítulo foi iniciado nesta instituição. A inclusão das mulheres, que, em 2021, serão as primeiras oficiais combatentes de carreira formadas na Bicentenária instituição, no Quadro de Material Bélico e no Serviço de Intendência”, completou.

O comandante da Aman, coronel Pimentel estará na solenidade de formatura e na entrega dos Diplomas-Divulgação

O comandante da Aman, general de Brigada, Paulo Roberto Rodrigues Pimentel destacou a responsabilidade que pesa sobre os ombros de quem faz a história da Academia. “Percebemos que a instituição está inserida e próxima do contexto mundial, pois está preocupada com a profissionalização de nossa atividade e buscando, todos os dias, o aprimoramento contínuo”, afirma o general.

Nesta semana também foi realizado o tradicional plantio de uma muda de Pau Brasil para marcar a data-Divulgação

HISTÓRIA DA AMAN

A Academia Militar das Agulhas Negras é a escola de ensino superior do Exército Brasileiro, única formadora de oficiais de carreira das Armas de Infantaria, Cavalaria, Artilharia, Engenharia e Comunicações, do Quadro de Material Bélico e do Serviço de Intendência do Exército. Sua história tem início em 1810, com a criação da Academia Real Militar pelo Príncipe Regente D. João, sendo, inicialmente, instalada na Casa do Trem, no Rio de Janeiro, hoje Museu Histórico Nacional. Ao longo dos seus mais de duzentos anos de existência, a Academia Militar ocupou seis sedes. A partir de 1812, ela passou pelo Largo de São Francisco, pela Praia Vermelha, por Porto Alegre e pelo Realengo, até que, em 1944, ela chegou à Resende. Em 23 de abril de 1951, recebeu sua atual denominação: Academia Militar das Agulhas Negras. A Aman teve como seu grande idealizador o Marechal José Pessoa Cavalcanti de Albuquerque, militar que programou uma série de mudanças significativas na formação dos oficiais do Exército na década de 1930 e criou o Corpo de Cadetes, com seu estandarte e uniformes históricos.

Herdeira dos ensinamentos e da tradição bicentenária da Academia Real Militar, é na Aman que se inicia a formação do chefe militar, em um curso de cinco anos de duração, tendo o seu primeiro ano na Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx), na cidade de Campinas (SP). Ao seu final, o concludente é declarado Aspirante a Oficial e recebe o grau de Bacharel em Ciências Militares, após ter cumprido uma grade curricular que inclui disciplinas ligadas às ciências humanas, exatas, sociais e militares inerentes às diversas especialidades que integram a Linha de Ensino Militar Bélica do Exército (Infantaria, Cavalaria, Artilharia, Engenharia, Intendência, Comunicações e Material Bélico).

error: Conteúdo protegido !