Alunos e professores do Pré-Vestibular Cidadão do MEP de Volta Redonda comentam sobre tema da redação do ENEM

0

VOLTA REDONDA

Considerado sempre como ‘bicho papão’, o tema da redação deste ano do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) realizado no último domingo, dia 17, ‘O Estigma Associado às Doenças Mentais na Sociedade Brasileira’, não provocou nos alunos e professores nenhuma preocupação quanto ao nível de dificuldade. Indagados sobre o assunto, alguns estudantes e professores de linguagens e de redação do Pré-Vestibular Cidadão do MEP se manifestaram sobre o tema no contexto de mais de 50 % de abstenção, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).

Para muitos estudantes, o tema foi super pertinente e não foi difícil desenvolver. “Agora é esperar resultado na ansiedade”, contou a estudante Vitória. “Achei bem interessante. Trouxe uma questão importante de ser discutida que é o estigma em relação às doenças mentais. Achei bem coerente com a proposta do Enem, pois é instigante pra escrever e falar de preconceito e discriminação. ”- Beatriz, professora de português, licenciada. “Fiquei bastante surpresa com o tema, inclusive eu fiz um trabalho sobre doenças mentais no ano passado”, relatou a estudante Maria Eduarda.

TEMA IMPORTANTE E PERTINENTE

Para a professora de redação, Juliana Lima, o tema foi bastante importante, pertinente e dentro do padrão esperado para o Enem. “No texto, os candidatos deveriam propor caminhos para vencer o estigma que persegue várias pessoas que têm doença mental. Mas, não foi só por isso que gostei do tema. Há pouco tempo ações recentes do próprio MEC propuseram mudanças na Política Nacional de Educação Especial, uma clara volta à discriminação de crianças com essas deficiências, por exemplo”, destacou a professora, lembrando que ainda bem que as tais mudanças foram contestadas na Justiça.

Para outro aluno, a redação o tema da redação foi muito bom e bastante tranqüilo, embora não tenha se concentrado bem, pois ao entrar na sala para fazer a prova recebeu a notícia do falecimento de um tio. O professor de redação, Alexandre Batista, também gostou do tema. “Muito bom o tema do certame deste ano. Primeiro pela manutenção do estilo de sempre, pois trouxe um problema social com frase-tema com problema explícito e pressuposição de fácil identificação. “Segundo pela visibilidade dada a essa discussão no país, uma vez que esse tema será revisitado por nós, professores várias vezes durante este ano’, finalizou o professor de redação.