Alteris reúne influências latinas, de sonoridade progressiva e psicodélicas no EP de estreia AMI

0

BARRA MANSA

Após chamar atenção com a intensidade dos singles ‘Salamandra’, ‘Bom ou ruim’ e ‘A revolução interna’, o quinteto Alteris entrega seu EP de estreia, ‘AMI’. O álbum reúne uma gama de influências da banda em canções que refletem seu amadurecimento e questionamentos sobre a sociedade. Em clima progressivo, de música brasileira e latino e neopsicodelia, o grupo lança as cinco canções nos principais serviços de streaming.

A Alteris passou o último ano em um longo e detalhado processo de produção de ‘AMI’ em sua cidade natal de Barra Mansa, ao lado de Júlio Victor, conhecido pela banda Sasha Grey As Wife e pelo canal de YouTube Tá Na Capa, que assina a produção musical. Formada por João Barros (vocal), Mahayan Maximiano (guitarra), Igor Telles (baixo), Felipe Miranda (bateria) e Dayan Maximiano (teclado), a Alteris aborda nessas canções a temática da fragilidade das relações interpessoais com uma identidade singular, fruto de uma experiência adquirida nos palcos.

Do início do processo de produção à masterização final, os músicos se guiaram por um som orgânico e que conseguisse transmitir, de forma fiel, a experiência da banda ao vivo. “Quando começamos a produção do álbum, tínhamos definido gravar a bateria por último, mas como a ideia era deixar a sonoridade o mais orgânica possível, alteramos a estratégia no meio do processo e o resultado foi: o álbum ficou pronto dois meses antes do previsto e uma sonoridade totalmente fiel ao show ao vivo”, avalia o vocalista João Barros.

Para a Alteris, o primeiro EP é mais que uma declaração sonora – é uma expressão das questões que importam para a banda. A cada letra, o grupo reflete temas inerentes à experiência humana atual, versando sobre desejos, instintos, individualismo e uma visão polarizada do mundo. Muitas delas receberam interpretações visuais em clipes, onde as canções ganharam forma em cenas igualmente intensas.

Essa reflexão marca presença até no nome do trabalho e na capa do álbum. “Esse lançamento representa nosso primeiro manifesto até aqui: temos que nos conhecer. Temos que conhecer o outro. Temos que jogar juntos e só assim poderemos evoluir humanamente. O nome do álbum já traz bastante isso. ‘AMI’ é expressão em tupi-guarani utilizada para definir a aranha que não tece teia. No conceito do álbum, a aranha somos nós humanos e a teia as relações interpessoais. Precisamos urgentemente começar a tecer essa teia”, conclui João.

O EP teve produção, mixagem e masterização de Júlio Victor, que também assina a arte de capa. A captação do áudio da bateria foi realizado no Estúdio Jukebox. Agora, a Alteris se prepara para levar ‘AMI’ oficialmente aos palcos. Novas datas de turnê serão anunciadas em breve.

Siga Alteris

https://www.instagram.com/alterisbanda/

https://twitter.com/alterisbanda

https://www.facebook.com/bandaalteris/

OUÇA E ASSISTA

Assista a ‘Salamandra’: https://youtu.be/VRnnuj8Vj3M

Assista a ‘Bom ou Ruim’: https://youtu.be/LQsaCi14aWg

Assista a ‘A Revolução Interna’: https://youtu.be/xcBEhKaJEV4

Ouça ‘AMI’: http://smarturl.it/AlterisAMI

 

 

 

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !