Altas temperaturas são propicias para o aumento do consumo de saladas

0

BARRA MANSA

Verão e dieta; sobem os termômetros, diminuem o conteúdos dos pratos e um grupo de alimentos ganham destaque na alimentação dos brasileiros: As saladas. Se por um lado aumenta o consumo, por outro a oferta fica concorrida.

O consumo médio de verduras, legumes e frutas do brasileiro tem aumentado significativamente nos últimos anos, principalmente no verão, estação de clima quente e seco. A Organização Mundial de Saúde (OMS), além de recomendar exercícios físicos regulares, preconiza uma dieta rica em fibras, vitaminas e sais minerais. Os profissionais que trabalham com a saúde recomendam montar um prato colorido com pelo menos cinco porções de hortaliças e/ou frutas.

De acordo com o secretário do Meio Ambiente, Carlos Roberto de Carvalho, o Beleza, este é o período de entre safra e algumas dificuldades surgem até as folhosas chegarem até o consumidor. “A produção enfrenta dificuldades por conta do clima de temperaturas altas e chuvas fortes. Portanto, perde-se um pouco de qualidade e quantidade e o produto chega mais caro ao consumidor”, destaca.

Ainda segundo Beleza o distrito de Santa Rita de Cássia produz, em média, cinco toneladas de hortaliças por dia. “Nessa época do ano, a produção sofre uma queda de 30% por conta do fator climático, muitos produtores apostam na tecnologia para evitar o desperdício, a vida útil da folhosa é curta, desidrata muito rápido. O consumidor deve valorizar a produção local. Já os pontos de vendas também precisam ajudar a agricultura familiar no município buscando uma negociação mais justa”, citou.

O gerente de uma rede de supermercados, Jairo de Souza, destaca que quem quer comprar bons ingredientes para a salada, é preciso acordar cedo. “Janeiro e fevereiro a procura pelas folhosas aumenta em 20%, e a produção cai por conta do clima. As entregas chegam às 7 horas da manhã, até hora do almoço estão com qualidade, depois disso, já começam a ficar desidratadas, apesar de todo o cuidado que temos com o manuseio”, citou.

VALOR NUTRICIONAL

As verduras de folha verde, a alface em particular, são alimentos ricos em vitaminas e minerais, entre eles o magnésio. É possível consumir a alface fresca em saladas; assim como cozinhado-a, em sopas ou em purês.

De acordo com a nutricionista Raphaela Rocha, a alface apresenta efeitos relaxantes, o que ajuda a evitar a ansiedade que pode ocorrer durante as dietas para emagrecer. “A alface contém muita fibra e é altamente saciante, por isso é conveniente combiná-la com outros alimentos diariamente. Tem em média, 17 calorias por 100 gramas e é rica em vitaminas, sais minerais e fibras (tais como A, E, C, B1, B2 e B3, além de cálcio, magnésio, potássio e sódio), além de regular o intestino, os níveis de açúcar e colesterol no organismo”, citou.

O consumo de frutas e hortaliças no verão

Qualidade de vida e prevenção de doenças são atributos que contribuem para o aumento de consumo destes alimentos. As saladas exercem um papel fundamental no cardápio de quem deseja perder peso: são pouco calóricas, contêm fibras, desintoxicam o corpo e combatem o inchaço. Por isso, elas não podem ficar de fora das refeições. Feitas com folhas, legumes e até frutas, elas podem acompanhar o almoço e o jantar ou, ainda, substituir uma refeição completa. Outros benefícios que essas delícias trazem ao seu dia a dia são a praticidade e a rapidez com que são preparadas. “A maioria dos alimentos que compõe a salada possui poucas calorias, o que deixa a refeição saudável e ideal para ajudar no emagrecimento. Quando feita apenas com folhas verdes, seu valor calórico é mínimo, ou seja, você não corre o risco de cometer deslizes na dieta e, ainda, previne o inchaço”, citou a nutricionista, acrescentando que todos os legumes e verduras possuem uma boa quantidade de fibras em sua composição.

Além do alface, o consumidor deve incluir no cardápio couve-flor, couve-de-bruxelas, brócolis, tomate e aipo. E incrementar com frutas ricas em água, que ajudam a desinchar o corpo. Entre as mais poderosas estão o abacaxi, o melão, a melancia e a laranja. Por fim, evite consumir alimentos industrializados, diminua o sal da comida e do tempero da salada e beba bastante líquido.

Dica

Para uma salada substituir o prato principal é ela deve conter os três grupos alimentares, classificados em energéticos (carboidratos), reguladores (fontes de vitaminas e minerais) e construtores (proteínas). Os alimentos energéticos podem ser encontrados nos cereais como arroz, trigo e soja, e nas raízes como mandioca, inhame e batata. Já os reguladores estão presentes no grupo das verduras, legumes e frutas. Por fim, as fontes dos construtores são carnes em geral, leguminosas e leite e seus derivados.

 

 

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !