Aciap-BM realiza seminário sobre o uso da energia fotovoltaica

0

BARRA MANSA

Com o objetivo de apresentar benefícios e oportunidades da energia solar fotovoltaica para produtores rurais e empresas do Sul Fluminense, a Associação Comercial, Industrial, Agropastoril e Prestadora de Serviços de Barra Mansa (Aciap-BM) promoveu nesta segunda-feira, dia 17, o 1° Seminário de Energia Solar Fotovoltaica de Barra Mansa. Aproximadamente 150 pessoas receberam orientação sobre energia fotovoltaica, em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

Ao todo, quatro representantes de empresas do setor abordaram o tema e esclareceram dúvidas dos participantes. O deputado federal Luiz Antônio Corrêa (PL-RJ), membro da comissão da Câmara dos Deputados criada para debater o novo código de energia brasileira, também esteve presente no seminário. “Agradeço à Aciap-BM por entender a importância do tema e se mobilizar para promover o evento. A energia solar só traz benefícios e a vejo como uma aliada do homem do campo”, disse.

Segundo Bruno Paciello, presidente da Aciap-BM, a energia solar vai possibilitar grandes oportunidades de desenvolvimento para a economia da região. “Especialmente para o setor de agronegócio, com a possibilidade de contratos de arrendamentos de terras para abrigar as usinas fotovoltaicas. A Aciap-BM vem trabalhando fortemente na busca de oportunidades para o crescimento de Barra Mansa. Este seminário veio de encontro com nossos propósitos de crescimento econômico para o município, levando em conta a preservação do meio ambiente”, argumenta.

Durante as apresentações, os palestrantes apresentaram os modelos de negócios possíveis por meio da implementação de usinas fotovoltaicas, com destaque para o arrendamento de terras de produtores rurais. “Muitas propriedades rurais têm hoje áreas improdutivas que podem abrigar usinas de geração de energia solar. O produtor rural ganha com o arrendamento das terras e também pode ganhar com a geração de energia própria para consumo. Com as novas regulações para micro e mini geração ficou possível a instalação plantas que se enquadram na categoria de Geração Distribuída. Isso permite que qualquer consumidor produza sua própria energia limpa e renovável, injete na rede o excedente, e extraia dela o que faltar para o seu consumo normal”, explicou Edgar Franco, um dos palestrantes.

O produtor rural Hernandes Carelli elogiou o seminário. “Pude entender melhor os modelos de contratação e os benefícios. Minha propriedade tem algumas áreas improdutivas que podem receber as placas. Aproveitei o evento para conversar com as empresas e esclarecer dúvidas”, contou Carelli.

MAIS DE 82 MIL MICRO E MINI USINAS

Segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a fonte mais utilizada pelos brasileiros para micro e mini geração distribuída de energia é a solar fotovoltaica. São 82,6 mil micro e mini usinas espalhadas por todo o país, com cerca de 870 megawatts (MW) de potência instalada. Na região, algumas cidades como Valença, Vassouras, Rio das Flores e Barra do Piraí já possuem usinas solares em funcionamento. “Barra Mansa possui uma radiação solar excelente, uma das melhores do estado do Rio. Acreditamos que esse setor vai possibilitar novas oportunidades de negócios tanto para os produtores rurais quanto para empresas da região, que podem ter acesso a uma energia mais barata e limpa. Esperamos que esse seminário renda bons frutos para a cidade”, finalizou Carlos Magno Gomes Araújo, vice-presidente da pasta agropastoril da Aciap-BM.

 

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !