Abrigo Temporário para população em situação de rua começa a funcionar

0

BARA MANSA

A partir da noite dessa quinta-feira, dia 11, começa funcionar em Barra Mansa o abrigo temporário para acolher a população em situação de rua durante a temporada do inverno. A unidade foi estruturada no Clube Cultural Municipal, no Centro. Inicialmente serão oferecidas 30 vagas distribuídas entre homens e mulheres. Deste total, 15 serão fixas. Os assistidos poderão se abrigar mediante a participação no processo de acolhimento realizado diariamente entre 18 e 19 horas.  A permanência no local será permitida até às 7 horas do dia seguinte.

A iniciativa foi viabilizada através de parceria com a direção do Clube Municipal, a Secretaria de Ordem Pública, por meio da Guarda Municipal e entidades assistenciais e religiosas do município.  De acordo com a secretária de Assistência Social, Ruth Coutinho, a Ruthinha, o abrigo temporário será mais um serviço oferecido pela instituição.

Ruthinha ainda destacou o trabalho realizado no Centro POP, que funciona no Ano Bom, onde as pessoas em situação de rua podem fazer a higiene pessoal, se alimentar e participar de oficinas de ressocialização. “Nossa equipe multidisciplinar continua em atuação realizando os serviços de abordagem e triagem daqueles que têm o desejo de retornar para suas famílias”, destacou.

REGRAS PARA PERMANECER NO ABRIGO

A gerente de Proteção Especial, Edilene Oliveira, ressaltou que no abrigo temporário não será permitida a entrada de menores de 18 anos e os assistidos terão que seguir regras de convivência, como o cumprimento de horários e o respeito ao próximo. “Não será permitida em hipótese alguma o uso de substâncias tóxicas. Para isso, os assistidos serão revistados e terão seus pertences recolhidos e acondicionados em sacos plásticos lacrados. O material será devolvido a eles na saída no dia seguinte. Os horários também devem ser rigorosamente cumpridos”, completou.

Edilene ainda acrescentou que foi acertado com as entidades assistenciais e religiosas do município o fornecimento de sopão aos abrigados. “Já definimos que cada cidadão terá direito a um colchonete e um cobertor. Estamos buscando junto às entidades o fornecimento de uma refeição e auxílio de voluntários na distribuição desse alimento. O abrigo temporário está sendo tratado com todo cuidado e atenção para que seja um local de proteção e segurança a população em situação de rua. Todas as regras foram definidas mediante avaliação técnica e a prioridade é atender aos nossos munícipes”, concluiu.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !