Sassaricando – Oscar Noras – 28 de julho de 2018 – A Voz da Cidade
Siga a Voz da Cidade
HomeSassaricando - Oscar NoraSassaricando – Oscar Noras – 28 de julho de 2018

Sassaricando – Oscar Noras – 28 de julho de 2018

Sassaricando – Oscar Noras – 28 de julho de 2018

Sassaricando – Oscar Nora – 28 de julho de 2018

O leitor perdoe a insistência ao repetir que o calendário do futebol brasileiro precisa ser revisto. Com a organização que aí está, o esporte pentacampeão do mundo caminha para deixar de ser paixão nacional. Os sintomas da decepção do torcedor são cada vez mais eloquentes, como se observou na última Copa do Mundo.

+

A culpa é da Fifa que se faz de cega e surda para a avalanche de campeonatos e torneios promovidos por suas filhas de berço, as confederações continentais, nacionais e federações estaduais. Especialmente no Brasil, as competições se atropelam e superpõem, provocando mais devastações do que resultados construtivos para a finalidade do esporte.

+

Aliada à televisão, a Fifa vem projetando elitizados campeonatos mundiais de seleções. Fatia sedes exigindo a construção de estádios faraônicos em cada uma delas, institui protocolos de visibilidade mundial e outros babados mais. Tudo fica por conta de anfitriões subservientes da visibilidade e prestígios mundiais que imagina irão ter. E não terão.

+

Terminada a disputa, a Fifa deixa para trás uma terra arrasada. O país sede, cuja seleção na maioria dos casos foi mero figurante, passa a conviver com dívidas vultosas, estádios inúteis, suspeitas de corrupção e nenhum bônus que contribua para estimular o esporte local. Mas ela, a Fifa, se remunerou nababescamente assim como sua parceira televisão.

+

Com variações de estilo, o mesmo ocorre nas federações e confederações. Algumas excedem no grotesco e ridículo. A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, por exemplo, suspende um clube associado porque ele não pagou uma taxa de arbitragem na categoria Sub-20. Ao mesmo tempo, porém, admite que o mesmo clube e seu adversário, da mesma cidade do interior, ambos em penúria lastimável, se enfrentem num estádio a 500 quilômetros de distância.

+

CR Vasco da Gama – Últimos Jogos

16/07 – 20h – Vasco 2 x 0 Bahia – Copa do Brasil

19/07 – 20h – Vasco 1 x 1 Fluminense –  C.Brasileiro

22/07 – 16h – Vasco 1 x 0 Grêmio 0 – C.Brasileiro

25/07 – 19h – Vasco 1 x 3 LDU – C. Sul-americana

29/07 – 11h – Vasco x Corinthians – C. Brasileiro

 

CR Flamengo – Últimos Jogos

18/07 – 22h – Flamengo 1 x 2 São Paulo – C. Brasileiro

21/07 – 18h – Flamengo 2 x 0 Botafogo – C. Brasileiro

25/07 – 22h – Flamengo 1 x 1 Santos  – C. Brasileiro

29/07 – 16h – Flamengo x Sport – C. Brasileiro

01/08 – 22h – Flamengo x Grêmio – C. Libertadores

 

A Confederação Brasileira de Futebol e a Confederação Sul-americana batem cabeça, ao promover 4 campeonatos ao mesmo tempo: Copa Libertadores da América, Copa Sul-americana, Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil. Como as competições internacionais são continentais e o território brasileiro também tem dimensão continental, considerada apenas a logística do transporte, fica simples imaginar o desgaste que seus calendários ocasionam.

+

No período da segunda quinzena de julho, citando apenas os dois clubes no Rio de Janeiro, o Flamengo terá disputado uma partida de futebol a cada 2,8 dias. No caso do Vasco da Gama a estatística é mais cruel. De 16 de julho aodia 30 de julho, os cruzmaltinos terão enfrentado cinco adversários. Do LDU, na altitude soberba de Quito, na última quarta-feira à noite, até o Corinthians, às onze da manhã, neste domingo, será um duelo a cada 2,6 dias.

+

O futebol elitizado de hoje em dia se parece com um país de governo rico e povo pobre que eu conheço. Instituições e mídia eletrônica ricas, mas clubes da capital endividados, clubes do interior falidos, estádios vazios. E os verdadeiros donos da cereja do bolo, os jogadores, reféns de empresários milionários.

+

Depois de enfrentar o Tombense esta noite no Raulino de Oliveira, o Volta Redonda poderá ter garantido sua permanência na série C do Campeonato Brasileiro ou aumentado sua chance matemática de alcançar a classificação para a série B do mesmo torneio. O Voltaço não sofre gol há mais de 300 minutos, o que é um feito e tanto. Mas ele precisa que sua torcida também marque gol. Um golaço, comparecendo para apoiar.

Classifique essa Notícia
Sem Comentários

Comentar