Saae se prepara para diminuir efeitos da escassez de água – A Voz da Cidade
Siga a Voz da Cidade
HomeEspecialSaae se prepara para diminuir efeitos da escassez de água

Saae se prepara para diminuir efeitos da escassez de água

Saae se prepara para diminuir efeitos da escassez de água

Nos últimos anos a falta de chuvas e a escassez de água nos reservatórios e sistemas de abastecimento acionaram o alerta para o uso consciente da água. Em entrevista exclusiva ao A VOZ DA CIDADE, o diretor-executivo do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Barra Mansa (Saae-BM), Fanuel Fernando, que completou um ano à frente da autarquia no último dia 5, falou sobre o que tem feito para evitar os efeitos da escassez na cidade e também os projetos que vem sido desenvolvidos para melhorar o serviço prestado à população.

Segundo Fanuel, além de formas criativas na captação de água, é preciso que a população se conscientize do risco real de falta d’água. “Nós vamos ter um problema sério se não houver uma mudança de atitude. A transposição do Rio Paraíba (do Sul) em São Paulo já está acontecendo e vai faltar água. O que vai descer para nós aqui vai ser mais esgoto. Por isso, nós do Saae Barra Mansa, estamos investindo em formas de captar uma água do meio do rio, que é mais limpa e a oferta de água é maior. Só não houve falta d’água no ano passado porque tivemos que nos virar”, revelou Fanuel, lembrando que um estudo divulgado no último Fórum Mundial da Água apontou que de cada cinco cidades brasileiras, uma vai ficar totalmente sem água até 2030.

Fanuel apontou que um dos caminhos para evitar um colapso no abastecimento é o uso correto dos recursos hídricos aliado ao investimento em infraestrutura. “Há um mau uso da água para todos os lados. As pessoas lavam calçada com mangueira, homens fazem a barba no chuveiro, isso acaba aumentando o desperdício de água. Ao lavar roupa o ideal é otimizar o uso da máquina e reutilizar água. Se a gente começar agora com esses atos, quando tivermos esse problema de abastecimento de água vamos conseguir ultrapassá-los”, falou.

MELHORIA NO ATENDIMENTO

Com o objetivo de estreitar os laços com a população e melhorar o serviço prestado pelo Saae, Fanuel disse que tem investido na melhoria do atendimento. Um desses exemplos é o treinamento de Libras (Linguagem Brasileira de Sinais) pelo qual funcionários da autarquia estão sendo submetidos. Segundo ele, a ideia é garantir acessibilidade aos usuários surdos. No fim de março, uma funcionária deficiente auditiva e intérprete de Libras foi colocada no setor administrativo da autarquia, na sede da prefeitura. Ainda de acordo com Fanuel, em agosto está prevista a implantação de um Call Center. A ideia da central de relacionamento é melhorar a comunicação entre a população e a autarquia. “O call center vai funcionar entre 18 horas e meia-noite, possibilitando agilidade nos serviços, inclusive durante a madrugada. A pessoa que tiver algum problema, basta ligar que estaremos prontos para atender”, garantiu Fanuel, frisando os números disponíveis para contato com o Saae: o 115 ou o (24) 3322-6195.

O diretor destacou ainda algumas ações que a autarquia vem participando como a “Operação Reconstrução”, que em conjunto com a Superintendência de Serviços e Obras Públicas (Susesp) promove o serviço de limpeza e manutenção geral em bairros da cidade; e o projeto “Saae Itinerante” que tem realizado uma média de 40 atendimentos. “Nosso objetivo é estar mais perto do usuário. Criamos o Saae Itinerante que leva equipes de atendimento a locais com maior dificuldade de acesso, conta com a impressão de boletos de segunda via e abertura de processos administrativos”, comentou Fanuel, informando que a próxima edição do evento itinerante ocorre no dia 12 de maio, no bairro Boa Sorte.

“Hoje as ações do Saae na cidade inteira são só elogios. É claro que a gente está muito aquém do que pode ser feito, mas a gente tem trabalho muito para fazer o melhor”, disse.

INVESTIMENTOS

Ao fazer um balanço sobre sua atuação na diretoria do Saae, Fanuel, que trabalha há 40 anos na autarquia, disse que priorizou a capacitação de funcionários como também a melhoria no atendimento e serviço prestado à população. “Apesar de ser uma empresa pública, administro o Saae como uma empresa privada. Focando na capacitação e valorização do funcionário, assim como na melhoria da qualidade da água e dos serviços prestados à população. Investimos cerca de R$ 3 milhões em equipamentos e reformas; colocamos em dia a folha de pagamento dos servidores e dos fornecedores, e estamos perseguindo a meta de tornar o Saae Barra Mansa líder de melhor prestador de serviço do Estado do Rio de Janeiro e o 10º no Brasil. A água que sai tratada das estações de tratamento hoje em Barra Mansa é de nível internacional. Temos laboratório e fazemos o acompanhamento de hora em hora”, garantiu Fanuel, citando que ao longo de um ano, conseguiu aumentar a arrecadação da autarquia de R$ 4,1 milhões em 2017 para R$ 4,7 milhões. “Nosso objetivo é atingir R$ 5,2 milhões, sem reajuste de preços do tratamento da água e do esgoto”, afirmou Fanuel, destacando também a aquisição de novos veículos e equipamentos. “Quando entrei aqui falei que o Saae tinha que ser respeitado, mas para ser respeitado precisava se dar o respeito, e foi isso que fizemos. Compramos um furgão para ser oficina eletromecânica, porque Barra Mansa possui muitas bombas e elevatórias e não tínhamos condições de trabalho se algum desses equipamentos queimassem. Estamos investindo quase R$ 1 milhão em bombas reservas e reformando todas as elevatórias, os quadros elétricos, pintando, dando condições de trabalho para o funcionário, estamos reformando o refeitório. E a resposta é imediata: o servidor trabalha mais motivado”, declarou.

Fanuel também fez questão de destacar que espera que nos próximos meses, a construção da Estação de Tratamento de Esgoto no bairro Saudade seja licitada. O investimento é de R$ 89 milhões e promete fazer a cidade alcançar 45% no tratamento de esgoto, hoje esse número é de apenas 2,9%. A construção da ETE Saudade faz parte do Programa Saneamento Básico, Ação, Esgotamento Sanitário, do Ministério das Cidades.

Classifique essa Notícia
Sem Comentários

Comentar