Romário defende Bilhete Único integrando os quatro modais – A Voz da Cidade
Siga a Voz da Cidade
HomePolíciaRomário defende Bilhete Único integrando os quatro modais

Romário defende Bilhete Único integrando os quatro modais

Romário defende Bilhete Único integrando os quatro modais

RIO

Romário, candidato ao governo do estado pela coligação “A Força que Vem do Povo (PODE-PR-REDE-PPL)”, fez campanha hoje em São Cristóvão, Zona Norte do Rio de Janeiro. O candidato caminhou pelas ruas do bairro e ouviu muitas reclamações das pessoas a respeito do sistema de transportes do estado.  “Vamos rever a retomada da Linha 4 do Metrô. A gente sabe que tem uma pendência jurídica que está na mão do Ministério Público e do Tribunal de Contas do Estado. Eu vou sentar para conversar também com o Governo Federal porque todos sabem que o estado está falido e só vamos recuperar os investimentos com parcerias”, disse.

Além da retomada da Linha 4, Romário se comprometeu a criar um Bilhete Único de fato, integrando todos os modais: ônibus, barcas, trem e metrô. “Com isso a gente vai facilitar e dar mais celeridade e comodidade aos estudantes e aos trabalhadores. A gente vai fazer um bilhete único integral. Hoje, existe um bilhete, mas não integra os quatro modais. Temos que fazer um estudo de viabilidade para que a gente consiga estender o tempo de uso”, completou.

Em relação a um possível aumento das passagens, Romário descartou essa possibilidade. A ideia é tornar o transporte mais acessível e menos oneroso para a população.  “A ideia hoje, dentro desse estudo de viabilidade, é manter o valor e acrescentar mais um desses modais nesse Bilhete Único”, afirmou.

Sobre a retomada da construção do Teleférico do Alemão, o candidato, que já esteve no Complexo do Alemão, afirmou que tem a meta de retomar as obras. Porém, é preciso levar em consideração as finanças do estado.  “Existe por parte dos moradores muita vontade da retomada das obras e no meu governo com certeza a gente vai olhar com carinho sobre isso. A necessidade dos moradores é realmente grande, mas primeiro a gente tem que melhorar o que já existe, respeitando a Lei de Responsabilidade Fiscal”, concluiu.

 

Classifique essa Notícia
Sem Comentários

Comentar