Inverno é a melhor época do ano para a prática do exercício físico – A Voz da Cidade
Siga a Voz da Cidade
HomeMulherInverno é a melhor época do ano para a prática do exercício físico

Inverno é a melhor época do ano para a prática do exercício físico

Quando se deixa de treinar no inverno, todos os benefícios adquiridos nos meses em que se exercitou regularmente são rapidamente perdidos - Foto: Fábio Guimas

Inverno é a melhor época do ano para a prática do exercício físico

BARRA MANSA

Oficialmente, o inverno começa apenas na próxima quinta-feira. Mas as temperaturas já caíram desde meados de março com o inicio do outono. Friozinho, muitas das vezes, é sinônimo de preguiça e as pessoas desanimam de praticar exercícios físicos no período. O que essas pessoas não sabem é que estão desperdiçando a melhor época do ano para ter os resultados tão esperados.

De acordo com a profissional de educação física, personal especialista em emagrecimento e reabilitação, Isabella Guimarães Machado, o clima de outono e inverno ajuda a emagrecer. “A disposição dificilmente vence a briga com o termômetro quando as temperaturas caem. O resultado é uma correria danada nos próximos meses para compensar o tempo de preguiça. E o que ninguém desconfiava é que você está desperdiçando o melhor período do ano para ganhar saúde e dar um gás no emagrecimento. Nesse período o corpo precisa mais de calorias para aquecer então isso aliado ao treino potencializa o resultado”, destaca Isabella.

A especialista em emagrecimento e reabilitação enumera algumas dicas de como driblar a preguiça. “O ideal que a pessoa procure um atividade física que sinta prazer em fazer, que tenha acompanhamento profissional alguém que cobre dele a frequência diária. É bom estipular metas pessoais como: eliminar um quilo por semana, conseguir correr um quilômetro a mais a cada mês, ou ainda convidar amigos para que tenha uma companhia agradável”.

De acordo com a profissional outra vantagem de se treinar no inverno é que a temperatura do corpo não se eleva tanto como no verão e isso proporciona um melhor desempenho, mais disposição na hora de se exercitar. “O corpo precisa de memória muscular pra fazer durar o resultado. Quando se deixa de treinar no inverno, todos os benefícios adquiridos nos meses em que se exercitou regularmente são rapidamente perdidos, como a força, o tônus muscular e o rendimento. A consequência é rapidamente sentida na volta. Então o ideal é que não dê esse intervalo no inverno, pois o corpo em média, leva de dois a três meses para sentir os resultados do treino, por tanto deixar pra começar se exercitar só no verão é um equívoco”, enaltece, acrescentando que os benefícios vão além dos físicos, são hábitos saudáveis.

A personal ainda destaca a importância do aquecimento. “Aquecimento é diferente do alongamento é importante diferenciar. As pessoas chegam na academia se esticam todo e vai pro treino, esses movimentos não servem pra aquecer apenas pra se alongar. Aquecimento é quando se faz entre cinco e dez minutos de atividade aeróbica para aumentar o fluxo sanguíneo para os músculos, preparados para a atividade, evitando, assim, lesões”, informa.

Lembre-se também se de hidratar. A tendência é beber menos água no inverno que no verão, mas você continuará perdendo líquido que precisa ser resposto até nas temperaturas mais baixas.

Outra dica é a escolha certa da roupa. O atleta vai precisar se proteger do vento e até de uma eventual chuva, então deve se agasalhar. Mas preste atenção à escolha dos tecidos. A sugestão é usar roupas feitas com lycra, supplex e tactel, que são materiais que aquecem, mas não retém líquidos, como o suor, junto ao corpo. Ao escolher uma peça de algodão por exemplo, você pode até ficar mais aquecido logo de cara, mas se começar a suar, vai sentir frio porque o líquido ficará ‘preso’ no tecido.

A importância da suplementação

Atualmente, exercício físico é à base de qualquer programa de prevenção de doenças, de manutenção da saúde e de melhora do bem-estar físico. Mas, algumas pessoas querem mais do que estar saudáveis, querem ficar com o corpo perfeito.

O suplemento tem a função de suprir substâncias em falta ou aumentar alguma substância no seu organismo, onde ficaria inviável adquirir apenas com a alimentação. Dessa forma o corpo terá nutrientes necessários para uma melhor recuperação, desempenho ou evolução. Suplemento não tem nada haver com anabolizante.

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Alimentar, (Anvisa) suplementos alimentares são alimentos especialmente formulados e elaborados para praticantes de atividade física.

A proprietária do Mundo Verde, loja especializada em suplementos e complementação alimentar, Adriana São Thiago, comenta que hoje em dia muito dos alimentos perdem seus nutrientes por conta dos agrotóxicos. “Nossa rotina hoje em dia é corrida demais, muitas pessoas não se tem tempo mais para alimentação equilibrada, saudável. Até mesmo os alimentos estão prejudicados por conta da quantidade de agrotóxicos. E é ai que entra a suplementação, para repor ou complementar aquilo que falta na alimentação diária, além de dar força e energia para os treinos”, destaca. Inibidores de apetite e termogênicos, além do famoso Whey Protein estão na lista dos mais procurados.

Alimentação saudável-foto

No inverno o corpo perde temperatura e para mantê-la em torno dos 36º, que é o ideal, é preciso mais energia. De acordo com a nutricionista Renata Pançardes, por isso se sente mais fome durante esta estação. “O cérebro passa a mensagem de que é preciso aquecer, por isso sentimos mais fome, a vontade de ingerir alimentos mais gordurosos e calóricos também aumenta. O ideal é abusar dos caldos e sopas de legumes, substituindo a batata por mandioca, couve flor e brócolis. Pode se abusar também dos chás quentes. Usando gengibre, canela que aceleram o metabolismo e são termogênicos, que aceleram o metabolismo e elevam a temperatura corporal”, destaca.

Outra dica importante dada por Renata é fazer refeições a cada três horas. “Com isso diminui a fome a evita ‘beliscar’ entre uma refeição e outra. A noite, que é quando se sente mais fome, pode se comer mingau de aveia com canela, que inibe o apetite e a vontade de comer doces”, avalia.

Inverno e as cirurgias plásticas

O leitor certamente já ouviu dizer que o inverno é a época das cirurgias plásticas. E não é por menos, já que este é o período mais propício para a realização de diversos tipos de cirurgias – e claro, já que ele antecede as estações mais quentes onde ninguém quer exibir cicatrizes e marcas, além de ser um período de férias escolares. O inverno traz realmente algumas vantagens.

O inchaço pode ser menor, se comparado com dias mais quentes. “Isso é mais evidente para cirurgias como lipoaspiração, abdominoplastia, cirurgia da face, em que o inchaço é mais acentuado. Outro ponto a considerar, segundo os médicos especialistas, é que muitas cirurgias plásticas necessitam da recuperação do uso de cintas elásticas por mais de um mês, o que é melhor tolerado em dias frios.” diz o diretor do Centro Nacional de Cirurgia Plástica, Arnaldo Korn.

Além disso, também são férias escolares, o que permite uma melhor programação da cirurgia com recuperação adequada, principalmente para aqueles que ainda não têm filhos e folgam nesta época. Logo, por estes motivos, julho foi por muito tempo o mês mais procurado para cirurgias plásticas, mas claro que isso não é um fator decisivo para se escolher uma data. O mais importante é pesquisar um médico que seja especialista em cirurgia plástica, começando por investigar na internet e buscar referências de outros pacientes.

“Outro fator essencial é que a pessoa tenha um determinado tempo para a recuperação, pois, se for mal feita, influenciará diretamente no resultado da cirurgia. Assim, é melhor se programar para que tenha tempo suficiente para a recuperação, sem ter que voltar ao trabalho antes do período ideal”, afirma o diretor.

Mas, se o problema na programação da cirurgia é o financeiro, não é necessário esperar o décimo terceiro, pois muitos especialistas trabalham com empresas que prestam serviços de assessoria administrativa e financeira, auxiliando assim o pagamento do procedimento em parcelas, como é o caso do Centro Nacional.

 

Classifique essa Notícia
Sem Comentários

Comentar