Copa do Mundo fomenta a venda de TVs na região – A Voz da Cidade
Siga a Voz da Cidade
HomeEconomiaCopa do Mundo fomenta a venda de TVs na região

Copa do Mundo fomenta a venda de TVs na região

As TVs de tela grande são as principais mercadorias nas vendas do setor de eletroeletrônicos - Foto: André Matheus

Copa do Mundo fomenta a venda de TVs na região

A paixão do brasileiro com o futebol influencia a economia do país e o setor de eletroeletrônicos vem lucrando com o principal evento esportivo mundial, a Copa do Mundo, na Rússia. A venda de TVs só faz crescer desde o fim de 2017, já nas vendas de natal, agora, às vésperas da abertura do evento o volume de vendas ultrapassa os 40% perante outros períodos.

Na região a procura pelas TVs de tela grande, aquelas a partir de 49 polegadas, cresceu de forma surpreendente segundo relato de alguns gerentes e comerciários contentes com o fluxo de clientes.

Os torcedores querem assistir a Copa do Mundo em telas grandes – Foto: Idelfonso Pinheiro

Em Resende, as TVs mais procuradas são as chamadas telas grandes e com tecnologia smart (inteligente), com aplicativos e acesso à internet. “Os modelos mais vendidos são as TVs de LED nos tamanhos 49, 50 e 55 polegadas. Os consumidores deixaram de levar as de 32 e 40 polegadas, todos querem um ‘telão’ em casa. Os valores oscilam entre R$ 2.790,00 a R$ 3.999,90, conforme especificação sendo HD, Ultra HD, 4k e pelo tamanho da tela. Vendemos em média umas seis telas grandes por dia nesta época”, comenta o gerente Edmar Junqueira, que não aposta em promoção de última hora devido à alta procura. “As TVs são os produtos mais procurados na loja, ainda mais neste período de Copa do Mundo, difícil baixar o preço”, comenta. Porém, há redes de lojas que promovem promoção como o cliente comprar uma TV de 60 polegadas, que custa na faixa de R$ 5 mil, e pagar mais R$ 1 pela outra de 32 polegadas.

Na busca de um telão para a sala de estar e poder assistir aos jogos da Seleção Brasileira em alta definição existem todos os tipos de clientes, inclusive os supersticiosos. “Eu não quero ver a Copa na mesma TV que assistir a derrota de 7 a 1, contra a Alemanha, em 2014. Vou trocar sim e quero também uma maior, mais moderna. Já escolhi, falta o marido aprovar em casa”, afirmou a secretária Maria Isadora Ribeiro, convicta de levar uma TV smart de R$ 55. “No cartão a gente da um jeitinho”, disse.

A competição organizada pela Fifa e com a presença da Seleção Brasileira tem abertura oficial nesta quinta-feira, dia 14, às 15 horas, com a partida Rússia x Egito. O Brasil de Neymar e Gabriel Jesus, sob o comando de Tite, estreia no domingo, dia 17, às 15 horas, contra a Suíça, em Rostov do Don, na Arena Rostov.

Projeção é de que crescimento seja de 12% em Volta Redonda

Os lojistas de Volta Redonda estimam que as vendas de TVs para a Copa do Mundo da Rússia, que começa hoje, devam registrar alta de até 12% neste ano, em comparação ao Mundial de 2014. Muitos acreditam que o comércio dos eletroeletrônicos é grande aposta para este ano. Garantem que a Copa do Mundo acende o espírito de consumo dos brasileiros por itens de tecnologia. O gerente de um desses estabelecimentos no centro da cidade, Leandro Alves, destacou que, além dos equipamentos eletrônicos, esperam também o aumento nas vendas, entre 10% a 12% de itens temáticos, como cornetas, apitos e camisas da Seleção Brasileira. Os televisores estão variando de preços e visando atrair o maior número de compradores, os lojistas têm oferecido menores preços e facilidade de pagamento. Em uma das lojas do Aterrado, uma smart 49 polegadas de Led, de R$ 2.299,00 está sendo vendida a vista por R$ 2.099,00 ou em 10 vezes sem juros de R$ 209. Uma Led de 40 polegadas, a vista, pode ser comprada por R$1.600 a vista ou R$ 1.499,00 em dez vezes sem juros, de R$ 149. Outra Led de 40 polegadas, de R$ 1.600,00, pode ser adquirida em dez vezes sem juros. Segundo o vendedor da loja, que preferiu não se identificar, com o inicio da Copa a tendência é aumentar as vendas de televisores. A maior parte dos lojistas ouvido pela reportagem do A VOZ DA CIDADE, por questões estratégicas, prefere não divulgar a expectativa de crescimento na demanda.

Classifique essa Notícia
Sem Comentários

Comentar